Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Adesão ao tratamento da diabetes Mellitus: A importância das características demográficas e clínicas
Autores:  Isabel Silva - Professora Auxiliar, Universidade Fernando Pessoa.
José Pais-Ribeiro - Professor Associado, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto.
Helena Cardoso - Assistente Hospitalar Graduada, Serviço de Endocrinologia do Hospital Geral de Santo António; Professora Auxiliar, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto.
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2006-02-12
Aceite para publicação:  2006-05-25
Secção:  Artigo
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
O presente estudo, de carácter exploratório e transversal, teve como objectivo identificar e analisar variáveis demográficas e variáveis clínicas associadas à adesão aos auto-cuidados da diabetes. Foi avaliada uma amostra de conveniência de 316 indivíduos com diabetes, dos quais 44,6% do sexo masculino; com idades compreendidas entre os 16 e os 84 anos (M= 48,39; DP=16,90); 41,8% (n=132) apresenta diagnóstico de diabetes tipo 1 e a duração da doença varia entre 4 meses e 43 anos (M=13,66; DP=9,32); 59,8% sofre de complicações crónicas da diabetes. Os resultados sugerem que as variáveis demográficas, o tipo de diabetes e o nível de controlo glicémico, de uma forma geral, não estão associados a diferenças na adesão ao tratamento. Porém, a presença de sequelas crónicas e uma maior duração da doença estão associadas a maior adesão a alguns dos auto-cuidados da diabetes.

Palavras-chave
adesão, diabetes, variáveis-demográficas, variáveis-clínicas
Texto integral
Total: 1 registo(s)
33-41.pdf
Página 1 de 1


[ Detalhes da edição ]