Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Empoderamento e satisfação profissional em Enfermagem: uma revisão integrativa, em consonância com a Teoria Estrutural
Autores:  Abílio Cardoso Teixeira*; Maria do Céu Barbieri-Figueiredo**
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2014-02-19
Aceite para publicação:  2015-03-19
Secção:  Artigo
Ano:  2015
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV14024
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Contexto: Poder é um conceito central para o desenvolvimento profissional, sendo uma das características do processo de tomada de decisões, em conjunto com o recurso a um corpo único de conhecimentos. Através do processo de Empoderamento o profissional está apto a influenciar o outro sendo considerado um elemento chave nas organizações contemporâneas.
Objetivos: Estudar a relação existente entre Empoderamento e Satisfação Profissional, numa primeira análise, do ponto de vista estrutural.
Metodologia: Procedeu-se a uma revisão integrativa da literatura (2005-2011) de artigos das bases de dados Medline® e CINAHL, de acordo com a metodologia PICOD.
Resultados: Foram identificados 22 artigos, provenientes de contextos variados, sendo a maioria efetuados no continente americano (64%) e asiático (32%).
Conclusão: Apesar desta diversidade, constata-se a clara relação expressa entre Empoderamento e Satisfação Profissional, sendo diretamente proporcionais. Salienta-se ainda a influência da idade, contexto de desempenho profissional, formação académica e qualificação profissional na percepção de Empoderamento. Dado, da nossa pesquisa, não ter sido possível localizar estudos conduzidos em Portugal, importa o desenvolvimento desta temática.

Palavras-chave
enfermagem; empoderamento; satisfação no emprego; revisão.
Chang, L.-C., Liu, C.-H., & Yen, E. H.-W. (2008). Effects of an empowerment-based education program for public health nurses in Taiwan. Journal of clinical nursing, 17(20), 2782-2790.
Fletcher, K. (2007). Image: Changing how women nurses think about themselves. Journal of Advanced Nursing, 58(3), 207-215.
Gálvez, A., & Moreno, M.P. (2000). Revisión Crítica de un estudio: Resúmenes comentados de investigaciones de calidad. Index de Enfermería, 9(31), 56-58
Joanna Briggs Institute (2011). Joanna Briggs Institute reviewers’ manual: 2011 edition. Adelaide, Australia: Autor.
Laschinger, H., Finegan, J., Shamian, J., & Wilk, P. (2001). Impact of structural and psychological empowerment on job strain in nursing work settings: Expanding Kanter’s model. Journal of Nursing Administration, 31(5), 260-272.
Laschinger, H., Gilbert, S., Smith, L., & Leslie, K. (2010). Towards a comprehensive theory of nurse/patient empowerment: Applying Kanter’s empowerment theory to patient care. Journal of Nursing Management, 18(1), 4-13.
Ordem dos Enfermeiros (2012). Dados estatísticos 2000-2011. Retrieved from http://www.ordemenfermeiros.pt/membros/Documents/OEDados%20Estatisticos_2000_2011.pdf
Serrano, M., Costa, A., & Costa, N. (2011). Cuidar em Enfermagem: Como desenvolver a(s) competência(s). Referência, 3(3), 15-23.
Wagner, J., Cummings, G., Smith, D.L., Olson, J., Anderson, L., & Warren, S. (2010). The relationship between structural empowerment and psychological empowerment for nurses: A systematic review. Journal of nursing management, 18(4), 448-456
Texto integral
Total: 0 registo(s)
15 Rev. Enf. Ref. RIV14024 portuguese.pdf
15 Rev. Enf. Ref. RIV14024 english.pdf


[ Detalhes da edição ]