Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Construção e Validação da Escala de Educação Terapêutica para o Comportamento de Autocuidado na Diabetes
Autores:  Eva Patrícia da Silva Guilherme Menino; Maria dos Anjos Coelho Rodrigues Dixe; Maria Clarisse Carvalho Martins Louro
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2015-09-18
Aceite para publicação:  2016-01-21
Tipo:  Artigo de Investigação
Ano:  2015
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV15049

Resumo
Enquadramento: A adoção de comportamentos para o autocuidado por parte da pessoa com diabetes é determinante nos resultados, sendo a educação para o autocuidado uma intervenção de enfermagem eficaz neste sentido.
Objetivos: Construir e validar a Escala Educação Terapêutica para o Comportamento de Autocuidado à Pessoa com Diabetes (ETCAD).
Metodologia: Estudo metodológico, com amostra de 104 enfermeiros que trabalham em cuidados de saúde primários. Para a construção e validação da escala seguiram-se as guidelines internacionais.
Resultados: Os resultados da análise da fidelidade das 6 dimensões: alimentação saudável, manter-se ativo, monitorização, medicação, resolução de problemas e coping saudável e redução dos riscos, apresentam valores de α de Cronbach que variam entre 0,768 e 0,933. As matrizes de correlação (p>0,001) e as medidas de Kaiser-Meyer-Olkin superiores a 0,7 em todas as dimensões/subescalas garantem a adequação razoável do modelo fatorial de cada dimensão (subescala).
Conclusão: A escala multidimensional é válida e fiável para avaliar a frequência com que os enfermeiros realizam educação terapêutica sobre os comportamentos de autocuidado à pessoa com diabetes.

Palavras-chave
educação em saúde; diabetes; estudos de validação; enfermagem
American Association of Diabetes Educators. (2009). AADE guidelines for the practice of diabetes self-management education and training (DSME/T). The Diabetes Educator, 35(3 suplemento), 85S-107S. doi: 10.1177/0145721709352436
Almeida, L., & Freire, T. (2007). Metodologia da investigação em psicologia e educação (4ª ed.). Braga, Portugal: Psiquilíbrios.
Chang, A. M., Gardner, G. E., Duffield, C., & Ramis, M. A. (2010). A delphi study to validate an advanced practice nursing tool. Journal of Advanced Nursing, 66(10), 2320-2330. doi: 10.1111/j.1365-2648.2010.05367.x
Correia, L., Boavida, J. M., Almeida, J. P., Cardoso, S. M., Dores, J., Duarte, J. S., ... Raposo, J. (2013). Diabetes: Factos e números 2013: Relatório anual do observatório nacional da diabetes. Retrieved from https://www.dgs.pt/paginaRegisto.aspx?back=1&id=25163
Coutinho, C. (2011). Metodologia de investigação em ciências sociais e humanas: Teoria e prática (2ª ed.). Coimbra, Portugal: Almedina.
Fehring, R. (1987). Methods to validate nursing diagnosis. Retrieved from http://epublications.marquette.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1026&context=nursing_fac
Glasgow, R. E., Orleans, C., Wagner, E. H., Curry, S. J., & Solberg, L. I. (2001). Does the chronic care model serve also as a template for improving prevention?. Milbank Quarterly, 79(4), 579-612. doi: 10.1111/1468-0009.00222
Haas, L., Maryniuk, M., Beck, J., Cox, C. E., Duker, P., Edwards, L., ... Youssef, G. (2014). National standards for diabetes self-management education and support. Diabetes Care, 37(sup.1), S144-S153. doi:10.2337/dc12-1707
Hill-Briggs, F., & Gemmell, L. (2007). Problem solving in diabetes self-management and control a systematic review of the literature. The Diabetes Educator, 33(6), 1032-1050. doi: 10.1177/0145721707308412
Hollis, M., Glaister, K., & Lapsley, J. A. (2014). Do practice nurses have the knowledge to provide diabetes self-management education?. Contemporary nurse, 46(2), 234-241.
International Diabetes Federation. (2009). International standards for diabetes education. Retrieved from http://www.idf.org/files/idf_publications/international_standards_for_diabetes_education_EN/index.html#/2/
International Diabetes Federation. (2013). Diabetes atlas. Retrieved from https://www.idf.org/sites/default/files/EN_6E_Atlas_Full_0.pdf
International Council of Nurses (2010). Delivering quality, serving communities: Nurses leading chronic care. Retrieved from http://www.icn.ch/images/stories/documents/publications/ind/indkit2010.pdf
Menino, E., Dixe, M. A., Louro, M. C. M., & Roque, S. M. B. (2013). Programas de educação dirigidos ao utente com diabetes mellitus tipo 2: Revisão sistemática da literatura. Revista de Enfermagem Referência, 10, 135-143.
Nam, S., Chesla, C., Stotts, N. A., Kroon, L., & Janson, S. L. (2011). Barriers to diabetes management: Patient and provider factors. Diabetes research and clinical practice, 93(1), 1-9. doi: 10.1016/j.diabres.2011.02.002
National Institute for Clinical Excellence. (2003). Guidance on the use of patient- education models for diabetes. London, United Kingdom: National Institute for Clinical Excellence.
Pestana, M., & Gageiro, J. (2005). Análise de dados para ciências sociais - A complementariedade do SPSS. Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
Streiner, D., & Norman, G. (2008). Health measurement scales: A practical guide to their development and use. New York, USA: Oxford University Press
Tanqueiro, M. T. D. O. S. (2013). A gestão do autocuidado nos idosos com diabetes: revisão sistemática da literatura. Revista de Enfermagem Referência, 9, 151-160. doi: 10.12707/RIII1202
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Jan2016_35to44 ENGL.pdf
REF_Jan2016_35to44 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]