Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Propriedades Psicométricas do Formulário Desenvolvimento da Competência de Autocuidado da Pessoa com Ostomia de Eliminação Intestinal
Autores:  Igor Emanuel Soares Pinto; Célia Samarina Vilaça de Brito Santos; Maria Alice Correia de Brito; Sílvia Maria Moreira Queirós
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2015-07-30
Aceite para publicação:  2016-01-29
Secção:  Artigo de Investigação
Ano:  2015
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV15044

Resumo
Enquadramento: A utilização de um instrumento de avaliação da competência de autocuidado na pessoa com ostomia de eliminação intestinal permite a identificação das suas necessidades específicas de forma sistematizada, assegurando a continuidade dos cuidados de enfermagem. Foi desenvolvido em Portugal um instrumento que avalia os domínios que integram essa competência, contudo, não se encontra validado.
Objetivos: Avaliar as propriedades psicométricas do formulário Desenvolvimento da Competência de Autocuidado da Pessoa com Ostomia de Eliminação Intestinal.
Metodologia: Estudo metodológico para análise das propriedades psicométricas de um instrumento de medida, escrito em português.
Resultados: O alfa de Cronbach foi de 0,95 e a fidelidade interjuízes demonstrou uma correlação igual ou superior a 0,98. No teste de split-half verificou-se uma correlação estatisticamente significativa, assim como no estudo da sensibilidade clínica.
Conclusão: O formulário apresentou bons indicadores psicométricos, sugerindo a viabilidade da sua utilização enquanto ferramenta proficiente para o processo de diagnóstico de enfermagem, contribuindo para a otimização dos cuidados de enfermagem.

Palavras-chave
autocuidado; ostomia; estudos de validação; cuidados de enfermagem
Boyles, A. (2010). Patient outcomes and quality of life following stoma-forming surgery. Gastrointestinal Nursing, 8(8), 30-35. doi: 10.12968/gasn.2010.8.8.79163
Bryman, A., & Cramer, D. (1992). Análise de dados em ciências sociais: Introdução às técnicas utilizando o SPSS. Oeiras, Portugal: Celta Editores.
Cabral, A. (2009 Setembro). Associação Portuguesa de Ostomizados (APO). Jornal Da Secção Regional Do Centro Da Ordem Dos Enfermeiros, 20, p. 14. Retrieved from http://www.ordemenfermeiros.pt/sites/centro/informacao/Documents/Jornal%20da%20SRC/jornal20.pdf
Cardoso, T. (2011). Desenvolvimento da competência de autocuidado da pessoa com ostomia de eliminação intestinal (Dissertação de mestrado). Retrieved from http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/9258
Fleury, M. T., & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea, 5(Esp.), 183-196. doi: 10.1590/S1415-65552001000500010
Fortin, M. F. (2003). O processo de investigação: Da concepção à realização. Loures, Portugal: Lusociência.
Gesaro, A. (2012). Self-care and patient empowerment in stoma management. Gastrointestinal Nursing, 10(2), 19-23. doi: 10.12968/gasn.2012.10.2.19
Gomes, A. M. (2012). Desenvolvimento da competência de autocuidado da pessoa com ostomia de eliminação intestinal no momento da alta do internamento (Dissertação de mestrado). Retrieved from http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/9361
Guerreiro, M., Silva, A., Botelho, M., Leitão, O., Castro-Caldas, A., & Garcia, C. (1994). Adaptação à população portuguesa da tradução do “Mini Mental State Examination” (MMSE). Revista Portuguesa de Neurologia, 1(9), 9-10.
O’Connor, G. (2005). Teaching stoma-management skills: The importance of self-care. British Journal of Nursing, 14(6), 320-324. doi: 10.12968/bjon.2005.14.6.17800
Phaneuf, M. (2005). Comunicação, entrevista, relação de ajuda e validação. Loures, Portugal: Lusociência.
Ribeiro, J. L. (2010). Metodologia de investigação em psicologia e saúde (3ª ed.). Porto, Portugal: LegisEditora/Livpsic.
Schumacher, K., Stewart, B. J., & Archbold, P. G., Dodd, M. J., & Dibble, S. L. (2000). Family caregiving skill: Development of the concept. Research in Nursing & Health, 23(3), 191-203. doi: 10.1002/1098-240X(200006)23:33.0.CO;2-B
Silva, C. R. (2012). Desenvolvimento da competência de autocuidado da pessoa que vai ser submetida a ostomia de eliminação intestinal (Dissertação de mestrado). Retrieved from http://comum.rcaap.pt/handle/123456789/9291
Simmons, K. L., Smith, J. A., Bobb, K. A., & Liles, L. L. (2007). Adjustment to colostomy: Stoma acceptance, stoma care self-efficacy and interpersonal relationships. Journal of Advanced Nursing, 60(6), 627-635. doi: 10.1111/j.1365-2648.2007.04446.x
Sousa, C. F., Santos, C., & Graça, L. C. (2015). Construção e validação de uma escala de adaptação a ostomia de eliminação. Revista de Enfermagem Referência, 4(4), 21-30. doi: 10.12707/RIV14021
World Health Organization. (2003). Adherence to long-term therapies: Evidence for action. Retrieved from http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/42682/1/9241545992.pdf”
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Jan2016_75to84 ENGL.pdf
REF_Jan2016_75to84 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]