Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Vídeos Simuladores de Autocuidado em Lesão Medular: Conceção e Produção de um Protótipo
Autores:  Catarina Isabel Reis Silva Garcia e Teles de Araújo
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2015-10-26
Aceite para publicação:  2016-01-26
Secção:  Artigo
Ano:  2015
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV15065

Resumo
Enquadramento: A utilização de vídeos em reabilitação de pessoas com lesão medular (LM) permite transmitir informação complementar sobre técnicas/exercícios de autocuidado.
Objetivos: Identificar necessidades de informação de pessoas com LM e produzir e validar os conteúdos do treino de autocuidado em pessoas com LM passíveis de transmitir em vídeo.
Metodologia: Estudo qualitativo, de conceção e validação de um protótipo em vídeo. Após um estudo preliminar sobre necessidades de informação de pessoas com LM, segundo um grupo de pessoas com LM e um grupo de profissionais de reabilitação, foi produzido um conjunto de 10 vídeos visando técnicas de reabilitação. Os vídeos produzidos foram depois sujeitos a validação de conteúdo por 7 peritos.
Resultados: As críticas mais frequentes nas entrevistas aos peritos foram: posição/movimento da pessoa com LM; alternativas em produtos de apoio; alterações da imagem, ritmo, duração ou ângulo de filmagem.
Conclusão: Foi atribuída uma avaliação dos vídeos entre razoável a muito bom. Os peritos admitiram que os vídeos oferecem vantagens didáticas face a materiais escritos como manuais ou folhetos.

Palavras-chave
filmes e vídeos educativos; reabilitação; traumatismos da medula espinal; autocuidado; destreza motora
Bardin, L. (2004). Análise de conteúdo (3ª ed.). Lisboa, Portugal: Edições 70.
Breen, G. M., & Matusitz, J. (2010). An evolutionary examination of telemedicine: A health and computer-mediated communication perspective. Social Work in Public Health, 25(1), 59-71. doi:  10.1080/19371910902911206
Cardoso, F. M., Queirós, P. J., & Margato, C. A. (2006). Técnicas de reabilitação I (4ª ed.). Coimbra, Portugal: Formasau.
Cho, N., & Chambers, R. (2014). The potential of video in patient education post skin biopsies University of Ottawa Journal of Medicine, 4(2), 32-35. doi: http://dx.doi.org/10.18192/uojm.v4i2.1161
Dyson, P. A., Beatty, S., & Matthews, D. R. (2010). An assessment of lifestyle video education for people newly diagnosed with type 2 diabetes. Journal of Human Nutrition and Dietetics, 23(4), 353-359. doi: 10.1111/j.1365-277X.2010.01077.x
Edwards, L., Krassioukov, A., & Fehlings, M. G. (2002). Importance of access to research information among individuals with spinal cord injury: Results of an evidenced-based questionnaire. Spinal Cord, 40(10), 529-535. doi:10.1038/sj.sc.3101364
Harrison, K. L, & Kouzel, O. (2009). Cyberchondria: Is online health information good for patients?. British Medical Journal, 17(b4813). Retrieved from http://www.medscape.com/viewarticle/714410?src=rss
Henriques, F. M., Cruz, A. G., Afonso, J. A., Ferreira, M. B., Costa, M. C., & Coimbra, M. M. (2007). Técnicas de reabilitação II (2ª ed.). Coimbra, Portugal: Formasau.
Hoffmann, T., McKenna, K., Herd, C., & Wearing, S. (2007). Written education materials for stroke patients and their carers: Perspectives and practices of health professionals. Topics in Stroke Rehabilitation, 14(1), 88-97. doi: 10.1310/tsr1401-88
Hoffmann, T., & Cochrane, T. (2009). What education do stroke patients receive in Australian hospitals?. Patient Education and Counseling, 77(2), 187-191. doi: 10.1016/j.pec.2009.03.009
Matter, B., Feinberg, M., Schomer, K., Harniss, M., Brown,P., & Johnson, K. (2009). Information needs of people with spinal cord injuries. The Journal of Spinal Cord Medicine, 32(5), 545-554. Retrieved from e http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2792460/
Multidisciplinary Association of Spinal Cord Injury Professionals. (2013). Clinical guideline for standing following spinal cord injury. Retrieved from http://www.mascip.co.uk/wp-content/uploads/2015/05/Clinical-Guidelines-for-Standing-Adults-Following-Spinal-Cord-Injury.pdf
Multidisciplinary Association of Spinal Cord Injury Professionals. (2012). Guidelines for management of neurogenic bowel dysfunction in individuals with central neurological conditions. Retrieved from http://www.mascip.co.uk/wp-content/uploads/2015/02/CV653N-Neurogenic-Guidelines-Sept-2012.pdf
Restreppo, R. D., Wettstein, R., Wittnebel, L., & Tracy, M. (2011). AARC clinical practice guideline: Incentive spirometry: 2011. Respiratory Care, 56(10), 1600-1604. http://www.rcjournal.com/cpgs/pdf/10.11.1600.pdf
Simpson, L. A., Eng, J. J., Hsieh, J. T., & Wolfe, D. L. (2012). The health and life priorities of individuals with spinal cord injury: A systematic review. Journal of Neurotrauma, 29(8), 1548–1555. doi: 10.1089/neu.2011.2226
Shah, R., & Velez, L. (2014). Effectiveness of software-based patient education on inhaler technique: A clinical study. European Respiratory Journal, 44(sup.58). Retrieved from http://use-inhalers.com/effectiveness-software-based-patient-education-inhaler-technique-clinical-study?lang=en
Suhonen, R., Nenonen, H., Laukka, A., & Välimäki, M. (2005). Patients’ informational needs and information received do not correspond in hospital. Journal of Clinical Nursing, 14(10), 1167-1176.
Veiga, B., Henriques, E., Barata, F., Santos, F., Santos, I. S., Martins, M. M., … Silva, P. C. (2011). Manual de normas de enfermagem: Procedimentos técnicos (2ª ed.). Lisboa, Portugal: Administração Central do Sistema de Saúde. Retrieved from e http://www.acss.min-saude.pt/Portals/0/MANUAL%20ENFERMAGEM%2015_07_2011.pdf
Wheelchair Research Team. (2013). Wheelchair skills training program version 4.2: Manual. Retrieved from http://www.wheelchairskillsprogram.ca/eng/documents/WSTP_Manual_4.2.2_approved.pdf
Zaffagnini, S., Russo, R. L., Muccioli, G. M. M., & Marcacci, M. A. (2013).The videoInsight® method: Improving rehabilitation following anterior cruciate ligament reconstruction: A preliminary study. Knee Surgery, Sports Traumatology, Arthroscopy, 21(4), 851-858. doi: 10.1007/s00167-013-2392-4
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Jan2016_93to101 ENGL.pdf
REF_Jan2016_93to101 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]