Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Exercício da Liderança de 1926 a 1974 por Enfermeiras Dirigentes de uma Entidade de Classe
Autores:  Ana Lúcia Domingues Neves; Maria Cristina Sanna
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2015-08-05
Aceite para publicação:  2016-01-06
Secção:  Artigo de História e Memória
Ano:  2015
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV15046

Resumo
Contexto: O exercício da liderança em enfermagem iniciou-se com a compreensão de que liderar é manter os membros da equipe unidos na busca pela realização dos objetivos profissionais. Na entidade de classe pioneira na representação da enfermagem brasileira – Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn) – a ascensão da classe profissional estava diretamente ligada aos esforços das suas dirigentes.
Objetivos: Descrever o exercício da liderança por enfermeiras dirigentes da ABEn.
Metodologia: Estudo qualitativo, histórico documental, sobre a liderança daquelas que atuaram, no período de 1926 a 1974, na direção da ABEn. As fontes primárias foram publicações científicas de periódicos brasileiros, além de estudos de casos, biografias e obituários da história das líderes da enfermagem.
Resultados: A análise das histórias dessas enfermeiras permitiu construir as seguintes categorias de resultados: preparação para a liderança, posicionamento ideológico das líderes, exercício da liderança e reconhecimento profissional das líderes.
Conclusão: As líderes tinham poder político, capacidade de trabalho, eram modelo de dedicação, firmeza de convicção, com grande capacidade de articulação, e poder político; muito realizaram pela enfermagem.

Palavras-chave
história da enfermagem; liderança; enfermeiras; biografia
Alcântara, G. (1960). Preparo de enfermeiras para o campo de enfermagem em saúde pública, administração de enfermaria e ensino e supervisão na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Revista Brasileira de Enfermagem, 13(2), 201-229.
Anónimo (2002). Edith de Magalhaes Fraenkel. Revista Brasileira de Enfermagem, 55(3), 269.
Azevedo, J. M., Carvalho, V., & Gomes, M. L. (2009). Waleska Paixão: Uma biografia a serviço da enfermagem brasileira. Revista da Escola de Enfermagem Anna Nery, 13(1), 31-35. doi: 10.1590/S1414-81452009000100005
Borenstein, M. S., Padilha, M. I., Caetano, T. L., & Mancia, J. R. (2004). Hilda Anna Krisch: Pioneira na enfermagem catarinense: Formação e contribuição. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(3), 366-370. doi: 10.1590/S0034-71672004000300024
Cabral, I. E., & Almeida, A. J. (2013). 85 anos de ABEn e 80 de REBEn promovendo o desenvolvimento científico e profissional da enfermagem brasileira. Revista Brasileira de Enfermagem, 66(esp.),13-23. doi: 10.1590/S0034-71672013000700002
Carvalho, A. C. (2008). Associação Brasileira de Enfermagem, 1926-1976: Documentário (2ª ed.). Brasília, Brasil: Aben Nacional.
Ferrarini, C. D. (1968). Apresentação da enfermeira do ano. Revista Brasileira de Enfermagem, 21(4), 163-165.
Furukawa, P. O. (2009). Comparativo de personagens da história da enfermagem brasileira. Revista de Enfermagem da Escola Anna Nery, 13(2), 402-405. doi: 10.1590/S1414-81452009000200023
Ordem dos Enfermeiros (Ed.). (2015). Liderar em Saúde, construir alternativas: Livro de resumos do IV Congresso da Ordem dos Enfermeiros. Lisboa, Portugal: Autor.
ManciaI, J. R., & PadilhaII, M. I. (2006). Trajetória de Edith Magalhães Fraenkel. Revista Brasileira de Enfermagem, 59(Esp.),432-437. doi: 10.1590/S0034-71672006000700009
Mendes, I. A., & Marziale, M. H. (2003). Uma trajetória de trabalho e sucesso. Revista Latino Americana de Enfermagem, 11(1),1-6. doi: 10.1590/S0104-11692003000100001
Moreira, M. C. (1999). A Fundação Rockefeller e a construção da identidade profissional de enfermagem no Brasil na primeira república. Revista História, Ciências, Saúde de Manguinhos, 5(3), 621-645. doi: 10.1590/S0104-59701999000100005
Oguisso, T. (2002). Tributo a grande líder Maria Rosa Souza Pinheiro. Revista Paulista de Enfermagem, 21(2), 113-114. doi: 10.1590/S0034-71672003000100016
Oguisso, T. (2003). Maria Rosa Sousa Pinheiro: A grande líder da enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, 56(1), 76-78. doi: 10.1590/S0034-71672003000100016
Oguisso, T., Campos, P. F., & Santiago, E. S. (2009). Maria Rosa Sousa Pinheiro e a reconfiguração da enfermagem brasileira. Revista Texto e Contexto Enfermagem, 18(4), 643-651. doi: 10.1590/S0104-07072009000400005
Oguisso, T., Freitas, G. F., & Takashi, M. H. (2013). Edith de Magalhaes Fraenkel: O maior vulto da enfermagem brasileira. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 47(5),1227-1234. doi: 10.1590/S0080-623420130000500029
Ribeiro, C. M. (1965). Organização de um serviço de enfermagem hospitalar. Revista Brasileira de Enfermagem, 18(5), 495-505.
Rodrigues, M. A., & Louçano, C. (2014). Documento ad usum et beneficium: Revista O Enfermeiro Português: 1929-1930. Revista de Enfermagem Referência, 4(1),163-169. doi: 10.12707/RIV14000
Secaf, V. (1988). Maria Rosa Sousa Pinheiro: Personalidade marcante. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 22(3), 255.
Sousa, L. B., & Barroso, M. G. (2009). Reflexão sobre o cuidado como essência da liderança em enfermagem. Revista de Enfermagem da Escola Anna Nery, 13(1),181-187. doi: 10.1590/S1414-81452009000100025
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Jan2016_113to119 ENGL.pdf
REF_Jan2016_113to119 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]