Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  A enfermagem e a vacinação: evolução do cumprimento da vacina combinada contra o sarampo, parotidite e rubéola
Autores:  João Manuel Graça Frade*; Maria de Fátima Graça Frade**; Carolina Miguel Graça Henriques***; Armando Silva****; Guilherme Gonçalves*****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-01-04
Aceite para publicação:  2017-03-09
Secção:  Artigo de Investigação
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17002

Resumo
Enquadramento: Em Portugal a vacinação é uma importante atividade dos enfermeiros que trabalham nos cuidados de saúde primários.
Objetivos: Este estudo pretende avaliar a evolução do cumprimento da estratégia vacinal da vacina combinada contra o sarampo, parotidite e rubéola (VASPR).
Metodologia: Estudo realizado a 411 indivíduos, nascidos em Portugal depois 1970, através da consulta da ficha individual de vacinação (FIV) e do boletim individual de saúde (BIS).
Resultados: A taxa de cobertura vacinal foi de 38,88% nas coortes nascidas antes de 1977. Nas coortes nascidas depois 1990 atingiu valores superiores a 95%. O respeito pelas idades recomendadas pela Direção-Geral de Saúde (DGS) esteve
associado à geração de nascimento a que os indivíduos pertencem e foi melhorando à medida que o tempo passou (r = - 0,239; p = 0,001).
Conclusão: Na amostra estudada verifica-se o cumprimento dos objetivos da Organização Mundial de Saúde e da DGS, na aplicação da estratégia VASPR, no que diz respeito à taxa de cobertura vacinal e à adequação dos esquemas vacinais às idades recomendadas.

Palavras-chave
enfermeiros; vacinação; Portugal; MMR
Cutts, F. T., Lessler, J., & Metcal, C. J. (2013). Measles elimination progress: Challenges and implication for rubella control. Expert Review of Vaccines, 12(8), 917-932. doi: 10.1586/14760584.2013.814847
Direção-Geral da Saúde. (1987). Programa de vacinação contra a parotidite epidémica (Norma de Serviço /DTP, 12/2/1987). Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (1990). Normas de vacinação do programa nacional de vacinação (Circular Normativa 10 DTF, 04/09/1990). Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (1999). Programa nacional de vacinação 2000: Orientações técnicas (Circular Normativa
Nº 09/DT, 21/12/1999). Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2001). Programa nacional de vacinação. Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2011a). Recomendações para a prevenção da transmissão de sarampo nas unidades
de saúde (Circular Normativa 01/2011 de 07/06/2011a). Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2011b). Vacinação complementar
contra o sarampo (Circular Normativa 011/2011 de 07/06/2011b). Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2011c). Normas de vacinação: Reforço da vigilância epidemiológica e controlo do sarampo (Circular Normativa 012/2011 de 07/06/2011c). Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2012a). Programa nacional de vacinação: Normas de vacinação (Circular Normativa 04/2011 de 26/01/2012). Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2012b). Programa nacional de eliminação do sarampo 2012. Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2012c). Boletim de vacinação. Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral de Saúde. (2013a). Programa nacional de eliminação do sarampo 2013. Lisboa, Portugal: Autor.
Direção-Geral da Saúde. (2013b). Sistema de informação nas unidades de saúde (SINUS). Pinhal, Portugal: Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Litoral, Centro de Saúde Arnaldo Sampaio.
Direção-Geral da Saúde. (2013c). Sistema de informação nas unidades de saúde (SINUS). Guarda, Portugal: Unidade Local de Saúde da Guarda, Centro de Saúde do Sabugal.
Direção-Geral da Saúde. (2016). Programa nacional de vacinação: Avaliação 2015. Lisboa, Portugal: Autor.
Loureiro, H. (2004). Eficácia em vacinação: Elementos essenciais na prática de enfermagem. Referência, 12, 62-72.
Plans, P. (2010). Prevalence of antibodies associated with herd immunity: A new indicator to evaluate the establishment
of herd immunity and decide immunization strategies. Medical Decision Making, 30(4), 438-443. doi: 10.1177/0272989X09353453
Subtil, C. L. (2011). Os primórdios da organização do Programa Nacional de Vacinação em Portugal. Revista
de Enfermagem Referência, 3(4), 167-174. doi: 10.12707/RIII11HM2
Tharmaphornpilas, P., Yoocharean, P., Rasdjarmrearnsook, A., Theamboonlers, A., & Poovarawan, Y. (2009). Seroprevalence of antibodies to measles, mumps, and rubella among Thai population: Evaluation of measles/MMR immunization programme. Journal of Health Population and Nutrition, 27(1), 80-86. doi: 10.3329/jhpn.v27i1.3320
World Health Organization. (2011). Measles outbreaks: Regions of the Americas, Europe and Africa. Recuperado de http://www.who.int/csr/don/2011_10_07/en/
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Jun2017_9to18_port.pdf
REF_Jun2017_9to18_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]