Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Gugging Swallowing Screen: contributo para a validação cultural e linguística para o contexto português
Autores:  Alexandra Maria da Silva Ferreira*; Ludmila Pierdevara**; Ines Margarida Ventura***; Amélia Maria Brito Gracias****; Jorge Manuel Franco Marques*****; Maria Gorete Mendonça dos Reis******
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-10-24
Aceite para publicação:  2018-01-08
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2018
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17090

Resumo
Enquadramento: A introdução de novas ferramentas, validadas e adaptadas para o contexto português para tria¬gem precoce da disfagia, assumem um caráter quase im¬perativo para a segurança do doente internado. A Gugging Swallowing Screen (GUSS) permite avaliar com precisão o compromisso da deglutição, distinguir o grau de severida¬de da disfagia e recomendar intervenções específicas.
Objetivo: Traduzir e adaptar para o contexto português a escala GUSS em doentes agudos e avaliar as suas pro-priedades psicométricas.
Metodologia: Estudo metodológico de tradução e ava¬liação das propriedades psicométricas da GUSS numa amostra de 174 doentes agudos. Realizou-se a análise da consistência interna, a concordância interobservadores, sensibilidade e especificidade, através da curva de Recei¬ver Operating Characteristic (ROC).
Resultados: A escala apresentou consistência interna de 0,80 na fase direta e de 0,82 na fase indireta. A con¬cordância interobservadores variou entre 0,818 e 0,905. A sensibilidade foi de 100% e especificidade de 43% e 56% (para ponto corte 13,50 e 4,50).
Conclusão: A GUSS versão portuguesa demonstrou propriedades psicométricas excelentes, podendo ser aplicada a
doentes em fase aguda da doença.


Palavras-chave
deglutição; disfagia; avaliação não-invasiva; enfermagem; escala
AbdelHamid, A., & Abo-Hasseba, A. (2017). Application of the GUSS test on adult egyptian dysphagic patients. The Egyptian Journal of Otolaryngology, 33(1), 103–110. doi:10.4103/1012-5574.199419
Bassiouny, S., Safinaz, N., Soliman, R., & Ahmed, S. (2017). Assessment of dysphagia in acute stroke patients by the gugging swallowing screen. Global Journal of Otolaryngoly, 9(4), 1–8. doi:10.19080/ GJO.2017.09.555766
Cardoso, A., Raínho, J., Quitério, P., Cruz, V., Magano, A., & Castro, M. (2011). Avaliação clínica não-invasiva de disfagia no AVC: Revisão sistemática. Revista de Enfermagem Referência, 3(5), 135–143. doi:10.12707/RIII1106
Cordeiro, M. C., & Menoita, E. C. (2012). Manual de boas práticas na reabilitação respiratória: Conceitos, princípios e técnicas. Loures, Portugal: Lusociência.
Dias, C. (2015). Functional oral intake scale (FOIS): Contributo para a validação cultural e linguística para o português europeu (Dissertação de mestrado). Recuperado de https://comum.rcaap.pt/bit-stream/10400.26/9603/1/Claudia Dias.pdf
Donovan, N. J., Daniels, S. K., Edmiaston, J., Weinhardt, J., Summers, D., & Mitchell, P. H. (2013). Dysphagia screening: State of the art. Stroke, 44, 24–32. doi:10.1161/STR.0b013e3182877f57
John, J., & Beger, L. (2015). Using the gugging swallowing screen (GUSS) for dysphagia screen¬ing in acute stroke patients. The Journal of Continuing Education in Nursing, 46(3), 103–104. doi:10.3928/00220124-20150220-12
Jotz, G. P., & Dornelles, S. (2012). Distúrbios da deglutição. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, 11(3), 70–76. Recuperado de http://revista.hupe. uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=344
Martins, A. (2016). Avaliação da disfagia: Proposta de protocolo de videoendoscopia da deglutição (Traba¬lho de licenciatura). Universidade Fernando Pessoa, Porto. Recuperado de http://bdigital.ufp.pt/bits-tream/10284/5393/1/PG_27890.pdf
McFarland, D. (2008). Anatomia em ortofonia: Palavra, voz e deglutição. Loures, Portugal: Lusodidacta.
Mourão, A., Almeida, E., Lemos, S., Vicente, L., & Teixeira, A. (2016). Evolução da deglutição no pós-AVC agudo: Estudo descritivo evolution of swallowing in post-acute stroke: A descriptive study. Revista Cefac, 18(2), 417–425. doi:10.1590/1982- 0216201618212315
Onofri, S. (2013). Correlação entre sensibilidade laríngea e penetração / aspiração traqueal em disfagia orofarín¬gea pós-acidente vascular encefálico (Tese de doutoramento). Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Brasil. Recuperado de http://roo.fmrp.usp.br/teses/2013/suely-mayumi-motonaga-onofri.pdf
Park, Y. H., Han, H. R., Oh, B. M., Lee, J., Park, J. A., Yu, S. J., & Chang, H. (2013). Prevalence and associated factors of dysphagia in nursing home residents. Geriatric Nursing, 34(3), 212–217. doi:10.1016/j.gerinurse.2013.02.014
Pierdevara, L., & Eiras, M. (2016). Uma experiência com a Global Trigger Tool no estudo dos eventos adversos num serviço de medicina. Revista de Enfermagem Referência, 4(9), 97–105. doi:10.12707/ RIV15078
Santos, M. C. (2014). Auto-perceção do impacto da disfagia em doentes oncológicos da cavidade oral e laringe (Trabalho de licenciatura). Universidade Fernando Pessoa, Faculdade de Ciências da Saúde, Porto, Portugal. Recuperado de http://bdigital.ufp.pt/bi¬tstream/10284/4445/1/PG_23839.pdf
Tanure, C. (2008). Contribuição ao estudo da pneumonia de aspiracão em idosos submetidos à avaliacão video-fluoroscópica da degluticão (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Medicina, Brasil. Recuperado de http:// www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/bitstream/ handle/1843/ECJS-7K6PNP/carla_maria_correa_tanure.pdf;jsessionid=4042E24581E1B9AD6F60676079313E7D?sequence=1
Trapl, M., Enderle, P., Teuschl, M., Dachenhausen, A., & Brainin, M. (2007). Dysphagia bedside screening for acute-stroke patients the gugging swallowing screen. Stroke, 38(11), 2948–2953. doi:10.1161/ STROKEAHA.107.483933
Vilelas, J. (2009). Investigação: O processo de construção do conhecimento. In Sílabo (Ed.), (pp. 136–142). Lisboa.
Warnecke, T., Imb, S., Kaisera, C., Hamachera, C., Oelenbergaand, S., & Dziewas, R. (2017). Aspiration and dysphagia screening in acute stroke: The guggingswallowing screen revisited. European Journal of Neurology, 24(4), 594–601. doi:10.1111/ene.13251
World Gastroenterology Organization. (2014). Disfagia, diretrizes e cascatas mundiais. Recuperado de http://www.worldgastroenterology.org/UserFiles/ file/guidelines/dysphagia-portuguese-2014.pdf
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_mar2017_85to94_port.pdf.pdf
REF_mar2017_85to94_eng.pdf.pdf


[ Detalhes da edição ]