Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Teor da informação partilhada entre enfermeiros durante a passagem de turno no serviço de urgência
Autores:  João Sousa*; Dina Meneses**; Dúlia Alves***; Lisete Machado****; Fernanda Príncipe*****; Liliana Mota******
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2019-03-22
Aceite para publicação:  2019-06-06
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2019
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV19014

Resumo
Enquadramento: É reconhecida a importância da partilha de informação na continuidade dos cuidados, sendo um desafio para os enfermeiros a decisão sobre qual a informação a partilhar.
Objetivo: Compreender o teor da informação partilhada pelos enfermeiros durante a passagem do turno, no serviço de urgência.
Metodologia: Estudo qualitativo, exploratório, com recurso ao focus group como método de recolha de dados, tendo participado 13 enfermeiros reconhecidos pelos seus pares como peritos em urgência.
Resultados: Após a análise das transcrições emergiram 4 categorias (Informação relativa ao cliente; Evolução do estado de saúde; Tipo de comunicação e Fatores condicionantes da passagem de turno), que demonstram o teor da informação partilhada entre os enfermeiros no serviço de urgência.
Conclusão: Os enfermeiros estão sensibilizados para a importância da informação partilhada durante a passagem de turno, tendo consciência que esta pode ser substancialmente melhorada. Para tal, durante a passagem de turno deve ser partilhada informação sobre identificação do cliente, situação atual, informações pertinentes, antecedentes de saúde, cuidados prestados e plano de cuidados.

Palavras-chave
gestão da informação; transferência da responsabilidade pelo paciente; serviço hospitalar de emergência; continuidade da assistência ao paciente; enfermeiras e enfermeiros
Administração Central do Sistema de Saúde. (2015). Recomendações técnicas para serviços de urgências (Nº RT11). Recuperado de http://www2.acss.min-saude.pt/Portals/0/Urg%C3%AAncias_%20final.pdf

Bardin, L. (2015). Análise de conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70.

Direcção-Geral da Saúde. (2017). Norma nº 001: Comunicação eficaz na transição de cuidados de saúde.
Recuperado de https://www.dgs.pt/directrizes--da-dgs/normas-e-circulares-normativas/norma-n--0012017-de-08022017.aspx

Friesen, M., White, S., & Byers, J. (2008). Handoffs: Implications for nurses. In R. G. Hunghe (Ed.), Patient
safety and quality: An evidence-based handbook for nurses (pp. 285-332). Recuperado de https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK2649/

Jorm, C., White, S., & Kaneen, T. (2009). Clinical handover: Critical communications. The Medical Journal of Australia, 190(11), 108-109. doi:10.5694/j.1326-5377.2009.tb02613.x

Kerr, D., Klim, S., Kelly, A. M., & McCann, T. (2016). Impact of a modified nursing handover model for improving nursing care and documentation in the emergency department: A pre-and post-implementation study. International Journal of Nursing Pratice, 22(1), 89-97. doi:10.1111/ijn.12365

Klim, S., Kelly, A. M., Kerr, D., Wood, S., & McCann, T. (2013). Developing a framework for nursing handover in the emergency department: An individualised and systematic approach. Internacional Journal of Nursing Pratice, 22(15-16). 2233-2243. doi:10.1111/jocn.12274

Manser, T., Foster, S., Gisin, S., Jaeckel, D., & Ummenhofer, W. (2010). Assessing the quality of patients handoffs at care transitions. British Medical Journal, 19(6), e44. doi:10.1136/qshc.2009.038430

Mota, L. (2010). Sistemas de informação de enfermagem: Um estudo sobre a relevância da informação para os médicos (Dissertação de mestrado). Universidade do Porto, Faculdade de Medicina, Portugal. Recuperado de: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/55361/2/TeseLilianaMotaMIM.pdf

Mota, L., Pereira, F., & Sousa, P. (2014). Sistemas de informação de enfermagem: Exploração da informação partilhada com os médicos. Revista de Enfermagem Referência, 3(1), 85-91. doi:10.12707/RIII12152

Nunes, L. (2010). Do perito e do conhecimento em enfermagem: Uma exploração da natureza e atributos dos peritos e dos processos de conhecimento em enfermagem. Revista Percursos, 17, 3-9. Recuperado de https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/9215//Revista%20Percursos%20n17_Do%20perito%20e%20do%20conhecimento%20em%20enfermagem.pdf

Nunes, L., Amaral, M., & Gonçalves, R. (2005). Código deontológico do Enfermeiro: Dos comentários à análise de casos. Lisboa, Portugal: Ordem dos Enfermeiros. Recuperado de https://www.ordemenfermeiros.pt/media/8889/codigodeontologicoenfermeiro_edicao2005.pdf

Ordem dos Enfermeiros. (2015). Código deontológico do enfermeiro. Lisboa, Portugal: Autor.

Patrick, V. (2011). Enfermagem de urgência: Uma visão histórica. In P. K. Howard & R. B. Steinmann (Eds.),
Sheehy enfermagem de urgência: Da teoria à prática (6ª ed., pp.3-8). Loures, Portugal: Lusociência.

Pereira, F. (2009). Informação e qualidade do exercício profissional dos enfermeiros. Coimbra, Portugal: Formasau.

Smeulers, M., Tellingen, V., Lucas, C., & Vermeulen, H. (2012). Effectiveness of different nursing handover styles for ensuring continuity of information in hospitalised patients. The Cochrane database of systematic reviews, 6, CD009979. doi:10.1002/14651858.CD009979

Sousa, P. (2006). Sistema de partilha de informação de enfermagem entre contextos de cuidados de saúde: Um modelo explicativo. Coimbra, Portugal: Formasau.

World Health Organization. (2007). Communication during patient hand-overs. Patient Safety Solutions,
1(3). Recuperado de http://www.who.int/patientsafety/solutions/patientsafety/PS-Solution3.pdf

Thomson, H., Tourangeau, A., Jeffs, L., & Puts, M. (2017). Factors affecting quality of nurse shift handover in the emergency department. Journal of Advanced Nursing, 74(4), 876-886. doi:10.1111/jan.13499

Victorian Quality Council. (2010). Promoting effective communication among healthcare professionals to improve patient safety and quality of care. Melbourne, Australia: Hospital and Health Service Performance Division/ Victorian Government Department of Health.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_jun2019_151to158_eng.pdf.pdf
REF_jun2019_151to158_port.pdf.pdf


[ Detalhes da edição ]