Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Estudo preliminar da Escala do Medo do Parto antes da Gravidez numa amostra de estudantes universitários
Autores:  Marlene de Jesus da Silva Ferreira; Zélia de Macedo Teixeira
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2019-12-20
Aceite para publicação:  2020-05-31
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH ARTICLE (ORIGINAL)
Ano:  2020
DOI:  10.12707/RV20002
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Enquadramento: O parto é temido por ambos os sexos, conduzindo ao aumento das taxas de cesariana eletiva e medicalização. Embora seja mais temido na gravidez, a sua avaliação em populações não-grávidas contribui para uma intervenção precoce.
Objetivo: Traduzir, adaptar e verificar as propriedades psicométricas de um instrumento que se propõe medir o medo do parto antes da gravidez, em população não-grávida.
Metodologia: Estudo metodológico, recorrendo à tradução-retroversão e análise das propriedades psicométricas (fidelidade e validade) recorrendo à administração da Escala do Medo do Parto antes da Gravidez (EMPAG) e da Escala de Ansiedade, Depressão e Stress de 21 itens (EADS – 21).
Resultados: A versão da escala adaptada, junto de 327 estudantes universitários, cumpriu os critérios de equivalência semântica, idiomática, experiencial e conceitual e apresenta boa consistência interna (α = 0,88) e estabilidade temporal. É constituída por 10 itens e explicada por 3 fatores, não existindo correlação com a EADS-21.
Conclusão: O estudo preliminar da EMPAG apresentou boas qualidades psicométricas. Sugere-se o
alargamento da amostra para sustentação dos resultados obtidos.

Palavras-chave
medo; parto; gravidez; educação; psicometria
Borsa, J., Damasio, B., & Bandeira, D. (2012). Adaptacao e validação de instrumentos psicologicos entre culturas: Algumas consideracoes. Revista Paidéia, 22(53), 423-432. doi:10.1590/1982-43272253201314
Demsar, K., Svetina, M., Verdenik, I., Tul, N., Blickstein, I., & Velikonja, V. (2018). Tokophobia (fear of childbirth): Prevalence and risk factors. Journal Perinatal Medicine, 46(2), 151-154. doi:10.1515/jpm-2016-0282
Hauck, Y., Stoll, K., Hall, W., & Downie, J. (2016). Association between childbirth attitudes and fear on birth preferences of a future generation of Australian parents. Women and Birth, 53(2), 1-7. doi:10.1016/j.wombi.2016.05.001
Larkin, P., Begley, C., & Devane, D. (2017). Women´s preferences for childbirth experiences in the Republic of Ireland: A mixed methods study. BMC Pregnancy and Childbirth, 17(19), 1-10. doi:10.1186/s12884-016-1196-1
McCants, B., & Greiner, J. (2016). Prebirth Education and Childbirth Decision Making. International Journal of Childbirth Education, 31(1), 24-27.
Martins, C. (2011). Manual de análise de dados quantitativos com recurso ao IBM SPSS. Braga, Portugal: Psiquilibrios Edicoes.
Nilsson, C., Hessman, E., Sjoblom, H., Dencker, A., Jangsten, E., Mollberg, M.,… Begley, C. (2018). Definitions, measurements and prevalence of fear of childbirth: A systematic review. BMC Pregnancy and Childbirth, 18(28), 1-15. doi:10.1186/s12884-018-1659-7
Oviedo, H., & Campo-Arias, A. (2005). Metodologia de investigacion y lectura critica de estudios: Aproximacion al uso del coeficiente alfa de Cronbach. Revista Colombiana de Psiquiatria, 34(4), 572-580.
Pais-Ribeiro, J. L., Honrado, A., & Leal, I. (2004). Contribuicao para o estudo da adaptacao Portuguesa das Escalas de Ansiedade, Depressao e Stress (EADS) de 21 itens de Lovibond e Lovibond. Psicologia, Saúde & Doenças, 5(2), 229-239. Recuperado de http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1645-00862004000200007&lng=pt&nrm=iso
Pasquali, L. (2007). Validade dos Testes Psicologicos: Sera Possivel Reencontrar o Caminho?. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 23(4), 99-107. doi: 10.1590/S0102-37722007000500019
Ribeiro, J. (2010). Investigação e avaliação em psicologia e saúde (2ª ed.). Lisboa, Portugal: Placebo.
Ryding, E., Lukasse, M., Parys, A., Wangel, A., Karro, H., Kristjansdottir, H., … Schei, B. (2015). Fear of childbirth and risk of cesarean delivery: A cohort study in six European Countries. BIRTH, 42(1), 48 -55. doi:10.1111/birt.12147
Stoll, K., Fairbrother, N., Carty, E., Jordan, N., Miceli, C., Vostrcil, Y., & Willihnganz, L. (2009). “It´s all the rage these days”: University Students´ attitudes toward vaginal and cesarean birth. BIRTH, 36(2), 133-140. doi:10.1111/j.1523-536X.2009.00310.x
Stoll, K., & Hall, W. (2013). Attitudes and preferences of young women with low and high fear of childbirth. Qualitative Health Research, 23(11), 1495-1505. doi: 10.1177/1049732313507501
Stoll, K., Hall, W., Janssen, P., & Carty, E. (2014). Why are young Canadians afraid of birth? A survey study oh childbirth fear and birth preferences among Canadian University students. Midwifery, 30(8), 220-226. doi:10.1016/j.midw.2013.07.017
Stoll, K., Hauck, Y., Downe, S., Edmonds, J., Gross, M., Malott, A., … Hall, W. (2016). Cross-cultural development and phychometric evaluation of a measure to assess fear of childbirth prior to pregnancy. Sexual and Reproductive Healthcare, 20(1), 1-6. doi:10.1016/j.srhc.2016.02.004
Storksen, H., Garthus-Niegel, S., Adams, S., Vangen, S., & Eberhard-Gran, M. (2015). Fear of childbirth and elective caesarean section: A population-based study. BMC Pregnancy & Childbirth, 15(221), 1-10. doi:10.1186/s12884-015-0655-4
Thomson, G., Stoll, K., Downe, S., & Hall, W. (2017). Negative impressions of childbirth in a North-West England student population. Journal of Psychosomatic Obstetrics & Gynecology, 38(1), 37-44. doi:10.1080/0167482X.2016.1216960
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_jul2020_e20002_port.pdf
REF_jul2020_e20002_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]