Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Prevalência e fatores de risco associados ao acidente vascular cerebral em pessoas com hipertensão arterial: uma análise hierarquizada
Autores:  Erisonval Saraiva da Silva; José Wicto Pereira Borges; Thereza Maria Magalhães Moreira; Malvina Thais Pacheco Rodrigues; Ana Célia Caetano de Souza
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2020-01-21
Aceite para publicação:  2020-07-29
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH ARTICLE (ORIGINAL)
Ano:  2020
DOI:  10.12707/RV20014
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Enquadramento: O acidente vascular cerebral (AVC) causa sequelas permanentes, sendo o descontroloda hipertensão arterial responsável por 80% desses casos.
Objetivo: Analisar prevalência e determinar hierarquicamente fatores de risco associados ao AVC em pessoas com hipertensão arterial.
Metodologia: Estudo seccional com 378 pessoas com hipertensão arterial residentes no Sul do Piauí, Brasil, em 2018. Analisaram-se variáveis sociodemográficas, condições de saúde e estilo de vida por regressão múltipla hierárquica organizadas em níveis distal, intermédio e proximal.
Resultados: A prevalência foi de 11,6%. Os fatores associados: sexo (ORajustada = 0,47; IC95%: 0,23-0,95) e idade (ORajustada = 1,03; IC95%: 1,01-1,06) distalmente; familiar com AVC (ORajustada = 2,01; IC95%: 1,00-4,04) e ir à urgência com a pressão arterial alterada (OR = 2,01; IC95%: 1,00-4,05) em nível intermédio; ingerir alimentos com alto teor de gordura (OR = 2,33; IC95%: 1,15-4,72), ingerir doces (OR = 2,37; IC95%: 1,15-4,90) e tempo de fumador (OR = 1,02; IC95%:1,00-1,04) proximalmente.
Conclusão: A prevalência foi explicada por uma hierarquia entre os fatores de risco, evidenciando proximalmente aqueles classificados como modificáveis.


Palavras-chave
hipertensão; acidente vascular cerebral; atenção primária à saúde; prevalência; fatores de risco
Bensenor, I. M., Goulart, A. C., Szwarcwald, C. L., Vieira, M. L. F. P., Malta, D. C. M., & Lotufo, P. A. (2015). Prevalência de acidente vascular cerebral e de incapacidade associada no Brasil: Pesquisa nacional de saúde: 2013. Arquivos de Neuro-Psiquiatria,73(9), 746-750. doi:10.1590/0004-282x20150115
Chueiri, P. S., Harzheim, E., Gauche, H., & Vasconcelos, L. L. (2014). Pessoas com doenças crônicas, as redes de atenção e a atenção primária à saúde. Divulgação em Saúde Para Debate, 52, 114-124. Recuperado de https://pdfs.semanticscholar.org/b7d3/83339162729f1dc80b102f6e1fa2d85e717a.pdf
Ferri, C. P., Schoenborn, C., Kalra, L., Acosta, D.,Guerra, M., Huang, Y., ... Prince, M. J. (2011). Prevalence of stroke and related burden among older people living in Latin America, India and China. Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry, 82, 1074-1082. doi:10.1136/jnnp.2010.234153
Forouzanfar, M. H., Liu, P., Roth, G. A., Birykov, S., Marczak, L., Alexander, L., ... Murray, C. J. (2017). Global burden of hypertension and systolic blood pressure of at least 110 to 115 mm Hg, 1990-2015. JAMA, 317(2), 165–182. doi:10.1001/jama.2016.19043
Gandenz, S. D., & Benvegnú, L. A. (2013). Hábitos alimentares na prevenção de doenças cardiovasculares e fatores associados em idosos hipertensos. Ciência e Saúde Coletiva, 12, 3523-3533. doi:10.1590/S1413-81232013001200009
Hansen, C. P., Overvad, K., Kyrol, C., Olsen, A., Tjonneland, A., Johnsen, S. P., … Dahm, C. C. (2017). Adherence to a healthy Nordic diet and risk of stroke: A Danish cohort study. Stroke, 48, 259-264. doi:10.1161/strokeaha.116.015019
Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes de Silva. (2014). Política nacional de controle do tabaco: Relatório de gestão e progresso 2011-2012. Recuperado de https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//politica-nacional_de-controle-do-tabaco-2014.pdf
Kummer, B. R., Hazan, R., Merkler, A. E., Kamel, H., Willey, J. Z., Middlesworth, W., … Boehme, A. (2020). A multilevel analysis of surgical category and individual patient-level risk factors for postoperative stroke. The Neurohospitalist,10 (1), 22-28. doi:10.1177/1941874419848590
Lima, D. B., Moreira, T. M., Borges, J. W., & Rodrigues, M. T. (2016). Associação entre adesão ao tratamento e tipos de complicações cardiovasculares em pessoas com hipertensão arterial. Texto Contexto Enfermagem, 25(3), 1-9. doi:10.1590/0104-07072016000560015
Malachias, M. V., Sousa, W. K., Plavnik, F. L., Rodrigo, C. I., Brandão, A. A., Neves, M. F., ... Moreno, J. H. (2016). 7ª diretriz brasileira de hipertensão arterial: Conceituação, epidemiologia e prevenção primária. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 107(3, sup.3), 1-6. doi:10.5935/abc.20160151
Malta, D. C., Mendes, M. S., Machado, I. E., Passos, V. M., Abreu, D. M., Ischitani, L. H., ... Naghavi, M. (2017). Fatores de risco relacionados à carga global de doenças do Brasil e Unidades Federadas. Revista Brasileira de Epidemiologia, 20, 217-232. doi:10.1590/1980-5497201700050018
Mendes, E. V. (2018). O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 31(2), 1-3, 2018. doi:10.5020/18061230.2018.7565
Mons, U., Müezzinler, A., Gellert, C., Schöttker, B., Abnet, C. C., Bobak, M., … Brenner, H. (2015). Impact of smoking and smoking cessation on cardiovascular events and mortality among older adults: Meta-analysis of individual participant data from prospective cohort studies of the CHANCES consortium. BMJ, 350, 1-12. doi:10.1136/bmj.h1551
Murakami, K., Asayama, K., Satoh, M., Inoue, R., Tsubota-Utsugi, M., Hosaka, M., ... Ohkubo, T. (2017). Risk factors for stroke among young-old and old-old community: Welling adults in Japan: The Ohasama study. Journal of Atherosclerosis and Throubosis, 24(3), 290-300. doi:10.5551/jat.35766
Organização Mundial da Saúde. (2015a). Cuidados inovadores para condições crônicas: Organização e prestação de atenção de alta qualidade às doenças crônicas não transmissíveis nas Américas. Recuperado de https://www.paho.org/hq/dmdocuments/2015/ent-cuidados-innovadores-innovateccc-digital-pt.pdf
Organização Mundial da Saúde. (2015b). The top 10 causes of death. Recuperado https://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/the-top-10-causes-of-death
Patel, A. S., Dhillon, P. K., Kondal, D., Jeemon, P., Kahol, K., Manimunda, S. P., … Prabhakaran, D. (2017). Chronic disease concordance within Indian households: A cross-sectional study. Plos Medicine, 29, 1-16. doi.org/10.1371/journal.pmed.1002395
Portegies, M. L., Mirza, S. S., Verliden, V. J., Hofman, A., Koudstaal, P. J., Swanson, A. S., & Ikram, M. A. (2016). Mid-to late-life trajectories of blood pressure and the risk of stroke: The Rotterdam study. Hypertension, 67(6), 1126-1132. doi:10.1161/hypertensionaha.116.07098
Santana, N. M., Figueiredo, F. W., Lucena, D. M., Soares, F. M., Adami, F., Cardoso, L., & Correa, J. A. (2018). The burden of stroke in Brazil in 2016: An analysis of the global burden of disease study findings. BMC Research Notes, 11(1), 735. doi:10.1186/s13104-018-3842-3
Venketasubramanian, N., Yoonb, B. W., Pandianc, J., & Navarrod, J. C. (2017). Stroke, epidemiology in South, East, and South-East Asia: A review. Journal of Stroke, 19(3), 286-294. doi:10.5853/
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_sep2020_e20014_port.pdf
REF_sep2020_e20014_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]