Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Evolução dos comportamentos e do estado de saúde na passagem à reforma
Autores:  Helena Loureiro*; António Fonseca**; Manuel Veríssimo***
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2012-02-16
Aceite para publicação:  2012-09-28
Secção:  Artigo de Investigação
Ano:  2012
DOI:  10.12707/RIII1232
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
A passagem à reforma é um acontecimento de vida de caráter transicional que exige uma inevitável adaptação à mudança (Fonseca, 2011; Meleis, 2010). A evolução dos comportamentos e do estado de saúde que os indivíduos revelam durante esse período são ilustrativos deste facto e traduzem os efeitos que a aquisição deste estatuto lhes poderá suscitar, em termos de saúde.
Com a finalidade de conhecer esses efeitos, o presente estudo teve por objetivo descrever a evolução dos comportamentos e do estado de saúde dos indivíduos no período de passagem à reforma. Tratou-se de um estudo de caráter quantitativo, no qual foi aplicado um questionário a 432 indivíduos aposentados há menos de cinco anos. A amostra foi conseguida pelo método de rede e os dados foram analisados recorrendo ao SPSS17.
As evidências revelaram que os inquiridos melhoraram os seus comportamentos em saúde após a reforma. Todavia essa melhoria não se expressou numa correspondente melhoria do estado de saúde (ex. Índice Massa Corporal aumentou em 94,8% dos casos e a patologia crónica em 3,7%, com destaque para o foro psiquiátrico). Concluiu-se que a passagem à reforma apresenta expressivas implicações na saúde dos indivíduos, particularmente naquelas que são as dimensões psicoemocionais desse mesmo estado.

Palavras-chave
envelhecimento; aposentação; saúde.
Texto integral
Total: 3 registo(s)
Artigo em PDF
Página 1 de 1


[ Detalhes da edição ]