Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Competências do Enfermeiro de Cuidados Gerais em Cuidados de Saúde Primários: da Compreensão à Concretização
Autores:  Virgínia Maria Sousa Guedes; Maria Henriqueta Silva Figueiredo; João Luís Alves Apóstolo
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2015-04-10
Aceite para publicação:  2016-02-04
Tipo:  Artigo de Investigação
Ano:  2015
DOI:  dx.doi.org/10.12707/RIV15022

Resumo
Enquadramento: O desenvolvimento de competências em enfermagem é um processo influenciado por vários fatores. O referencial de competências do enfermeiro de cuidados gerais reúne 96 competências da prática profissional ética e legal, prestação e gestão dos cuidados e desenvolvimento profissional.
Objetivos: Descrever quais as competências mais e menos compreendidas e mais e menos concretizadas pelo enfermeiro de cuidados gerais em cuidados de saúde primários.
Metodologia: Estudo quantitativo, descritivo, com uma amostra de 90 enfermeiros de cuidados gerais de cuidados de saúde primários, com aplicação de questionário com uma escala de competências.
Resultados: Correlação positiva significativa entre as variáveis. A prática profissional, ética e legal foi o domínio que obteve maiores níveis médios de compreensão e concretização; a prestação e gestão dos cuidados obteve menores médias nas duas variáveis. As competências foram mais compreendidas do que concretizadas.
Conclusão: A compreensão das competências é um fator importante na sua concretização. Este não foi o único fator que influenciou os resultados, dado que a correlação entre as 2 variáveis não é perfeita.

Palavras-chave
cuidados de saúde primários; competências; cuidados de enfermagem
Biscaia, A., Martins, J. N., Ferrinho, P., Gonçalves, I., Antunes, A. R. & Carreira, M. (2008). Cuidados de Saúde Primários em Portugal: Reformar para novos sucessos (2ª ed.). Lisboa, Portugal: Padrões Culturais Editora.
Benner, P. (2001). De Iniciado a Perito. Coimbra, Portugal: Quarteto.
Decreto-Lei n.º 413/71 de 27 de setembro. Diário da República n.º 228 - I Série. Ministério da Saúde e Assistência. Lisboa, Portugal.
Decreto-Lei n.º 28/2008 de 22 fevereiro. Diário da República n.º38 - I Série. Conselho de Ministros. Lisboa, Portugal.
Dias, F. (2006). Construção e validação de um inventário de competências: Contributos para a definição de um perfil de competências do enfermeiro com grau de licenciado. Loures, Portugal: Lusociência.
Figueiredo, M. H. (2009). Enfermagem de família: Um contexto do cuida (PhD Thesis). Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Porto, Portugal.
Figueiredo, M. H. (2012). Modelo dinâmico de avaliação e intervenção familiar: Uma abordagem colaborativa em Enfermagem de Família. Loures, Portugal: Lusociência.
International Council of Nurses (2012). Reforming primary health care: A nursing perspective. Geneva, Switzerland : Author.
Le Boterf, G. (2000). Compétence et navigation professionelle. Paris, France: Editions d´Organization.
Mendonça, S. S. (2009). Competências profissionais dos enfermeiros: A excelência do cuidar. Lisboa, Portugal: Editorial Novembro.
Norman, A. R. & Tesser C. D. (2009). Prevenção quaternária na atenção primária à saúde: Uma necessidade do Sistema Único de Saúde. Cadernos de Saúde Pública, 25(9), 2012-2020.
Oliveira, P. C. (2010). Auto-eficácia específica nas competências do enfermeiro de cuidados gerais: Percepção dos estudantes finalistas do curso de licenciatura em enfermagem (Masters dissertation). Universidade Portucalense Infante D. Henrique. Porto, Portugal.
Ordem dos Enfermeiros. (2003). Competências do enfermeiro de cuidados gerais. Lisboa, Portugal: Autor.
Organização Mundial de Saúde (1978, setembro). Declaração de Alma-Ata. Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde, Alma-Ata, 6-12 de Setembro. Alma-Ata, URSS: Autor.
Organização Mundial de Saúde (2000, junho). A Enfermagem de saúde familiar, contexto, quadro conceptual e currículo. 2ª Conferência da OMS para a Enfermagem Obstétrica. Munique, Alemanha: Autor.
Rauner, F. (2007). Conhecimento prático e competência profissional. Revista Europeia de Formação Profissional, 40(1), 57-71.
Regulamento n.º 190/2015 de 23 de abril. Diário da República II série n.º 79 - II série. Ordem dos Enfermeiros. Lisboa, Portugal.
Stanhope, M. & Lancaster, J. (1999). Enfermagem Comunitária: Promoção da saúde de Grupos, Famílias e Indivíduos (4ª ed.). Lisboa, Portugal: Lusociência.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Jan2016_27to33 ING.pdf
REF_Jan2016_27to33 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]