Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Por Uma Nova Epistemologia da Enfermagem: Um Cuidar Post-Humano?
Autores:  Ana Paula Teixeira de Almeida Vieira Monteiro; Manuel Curado
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2015-10-26
Aceite para publicação:  2016-02-04
Tipo:  Artigo Teórico/Ensaio
Ano:  2015
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV15069

Resumo
Enquadramento: As correntes clássicas do humanismo do século XX que tinham como base epistemológica o logos e a ideia do homem como medida de todas as coisas, adotados pelo corpo teórico da enfermagem como o cerne da sua identidade, já não se adequam aos parâmetros das sociedades hipertecnológicas/digitais.
Objetivos: Este artigo tem por objetivo partilhar uma reflexão sobre o impacto das biotecnologias intensivas e da cyborguização do corpo humano na construção de uma nova epistemologia de enfermagem, em que o conceito de Post-Humano é central.
Tópicos em análise: Através de um enquadramento conceptual e tendo em conta os referentes teóricos da enfermagem sobre o cuidar, pretende-se estruturar uma análise epistemológica sobre a tecnologia, as correntes de post-humanismo e a ontologia cyborg.
Conclusões: A inovação tecnológica e a cyborguização do humano devem traduzir-se em novos conceitos do cuidar. A investigação e a formação académica em enfermagem devem contribuir para o cuidado profissional reflexivo e eticamente responsável, em vez de se centrarem nas vertentes tecnopráticas e num conhecimento pragmático e utilitarista.

Palavras-chave
epistemologia; humanismo; cuidados de enfermagem; desenvolvimento tecnológico
Barnard, A. (2015). Ambivalence and uncertainty: Reflections on technological advancements in nursing. In Abstracts 19th International Philosophy of Nursing Society (IPONS) Conference, Stockholm, Sweden, 24‐26 August 2015. Stockholm, Sweden: Karolinska Institutet.
Borgmann, A. (1984). Technology and the character of contemporary life. Chicago, USA: University of Chicago Press.
Braidotti, R. (2013) The posthuman. Cambridge, England: Polity Press.
Chavario-Alfaro, G. (2015). El posthumanismo y los cambios en la identidad humana. Revista Reflexiones, 94(1), 97-107. Retrieved from http://revistas.ucr.ac.cr/index.php/reflexiones/article/view/20882/21024
Crocker, C., & Timmons, S. (2009). The role of technology in critical care nursing. Journal of Advanced Nursing, 65(1), 52-61. doi: 10.1111/j.1365-2648.2008.04838.x
Fairman, J. A., & D’Antonio, P. (1999). Virtual power: Gendering the nurse-technology telationship. Nursing Inquiry, 6, 178-186. doi: 10.1046/j.1440-1800.1999.00032.x
Ferrando, F. (2013). Posthumanism,transhumanism, antihumanism, metahumanism, and new materialisms differences and relations. Existenz, 8(2), 26-32. Retrieved from https://www.bu.edu/paideia/existenz/volumes/Vol.8-2Ferrando.pdf
Fukuyama, F. (2003). Our posthuman future: Consequences of the biotechnology revolution. London, England: Profile Books.
Haraway, D. (1991). Simians, cyborgs, and women: The reinvention of nature. New York, USA: Routledge.
Hayles, K. (1999). How we became posthuman: Virtual bodies in cybernetics, literature, and informatics. Chicago, USA: University of Chicago Press.
Haddow, G., King, E., Kunkler, I., & McLaren, D. (2015). Cyborgs in the everyday: Masculinity and biosensing prostate cancer. Science as Culture, 24(4), 484-506. doi:
10.1080/09505431.2015.1063597
Heidegger, M. (1977). The question concerning technology. New York, USA: Harper.
LaFontaine, C. (2014). Le corps-marché: La marchandisation de la vie humaine à l’ère de la bioéconomie. Paris, France: Seuil.
Meyer, D. E. (2002). Como conciliar humanização e tecnologia na formação de enfermeiras/os?. Revista Brasileira de Enfermagem, 55(2), 189-195. Retrieved from http://www.scielo.br/pdf/reben/v55n2/v55n2a13.pdf-
Monteiro, A. P. (2016). Cyborgs, biotechnologies, and informatics in health care: New paradigms in nursing sciences. Nursing Philosophy, 17(1), 19-27. Retrieved from http://www.scielo.br/pdf/reben/v55n2/v55n2a13.pdf
Moya, J. L. (2013). Prácticas educativas y práctica de cuidados enfermeros desde una perspetiva reflexiva. Revista de Enfermería, 15. Retrieved from https://www.uclm.es/ab/enfermeria/revista/numero%2015/numero15/pr%E1ctica_educativa_y_pr%E1ctica_de.htm
Pepperell, R. (2003).The post-human condition: Consciousness beyond the brain. Bristol, England: Intellect Books.
Salzmann-Erikson, M., & Eriksson, H. (2015).The rise of the avatar: Virtual dimensions of ‘the human’ in nursing science. Nordic Journal of Nursing Research, 35, 158-164. Retrieved from http://www.rkh.se/PageFiles/4946/The%20Rise%20of%20the%20Avatar.pdf
Silva, R. L., Kaczmarkiewicz, C., Cunha, J., Meira, I., Figueiredo, N., & Porto, I. (2009). O significado da tecnologia na assistência de enfermagem em pós-operatório imediato de cirurgia cardíaca. Revista da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro, 22(4), 210-218. Retrieved from http://www.rbconline.org.br/wp-content/uploads/a2009_v22_n04_02rcarlos.pdf
Taylor, B. J (2010). Reflective practice for healthcare professionals (3ª ed.). Maidenhead, England: Open University Press.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Jan2016_141to148 ENGL.pdf
REF_Jan2016_141to148 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]