Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Relação entre atividade física, força muscular e composição corporal numa amostra de estudantes de enfermagem
Autores:  Leonel São Romão Preto*; André Filipe Morais Pinto Novo**; Maria Eugénia Rodrigues Mendes***
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2016-04-11
Aceite para publicação:  2016-07-01
Secção:  Artigo de Investigação
Ano:  2016
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV16028

Resumo
Enquadramento: A prática regular de atividade física promove a saúde, a qualidade de vida e contribui para a prevenção das doenças crónicas não transmissíveis.
Objetivos: Avaliar o nível de atividade física (NAF) e a sua relação com variáveis sociodemográficas, testes de força muscular e composição corporal.
Metodologia: Estudo analítico transversal. Avaliámos o NAF pelo Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ), a força por dinamometria e prensa de pernas e a composição corporal por bioimpedância.
Resultados: Amostra predominantemente feminina (76,7%), com média de idade de 21 anos. Os estudantes (n=86) apresentaram um NAF baixo (58,1%), moderado (29,1%) e alto (12,8%). O NAF relacionou-se com o sexo (0,013) e alguns testes de força; designadamente a força de preensão manual direita e esquerda (p=0,000; p=0,005) e a força isométrica máxima dos quadríceps (p=0,010). O NAF influenciou a quantidade de massa magra e gorda (p=0,012; p=0,042).
Conclusão: Os estudantes fisicamente mais ativos apresentavam um perfil marcado por maior força e massa muscular e menor percentagem de gordura total, indicadores relevantes na saúde da população estudada.

Palavras-chave
atividade física; força muscular; composição corporal; estudantes de enfermagem
Caspersen, C. J., Powell, K. E., & Christenson, G. M. (1985). Physical activity, exercise, and physical fitness: Definitions and distinctions for health-related research. Public Health Reports, 100(2), 126-131.
Choi, J. Y., Chang, A. K., & Choi, E. J. (2015). Sex differences in social cognitive factors and physical activity in Korean college students. Journal of Physical Therapy Science, 27(6), 1659-1664. doi:10.1589/jpts.27.1659
Corte-Real, N., Balaguer, I., Dias, C., Corredeira, R., & Fonseca, A. (2008). Actividade física, prática desportiva, consumo de alimentos, de tabaco e de álcool dos adolescentes portugueses. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 26(2), 17-25. Recuperado de https://www.ensp.unl.pt/dispositivos-de-apoio/cdi/cdi/sector-de-publicacoes/revista/2000-2008/pdfs/rpsp-2-2008/02.pdf
Craig, C. L., Marshall, A. L., Sjöström, M., Bauman, A. E., Booth, M. L., Ainsworth, B. E., ... Oja, P. (2003). International physical activity questionnaire: 12-country reliability and validity. Medicine & Science in Sports & Exercise, 35(8), 1381-1395. doi:10.1249/01.MSS.0000078924.61453.FB
Demakakos, P., Hamer, M., Stamatakis, E., & Steptoe, A. (2010). Low-intensity physical activity is associated with reduced risk of incident type 2 diabetes in older adults: Evidence from the English Longitudinal Study of Ageing. Diabetologia, 53(9), 1877-1885. doi:10.1007/s00125-010-1785-x
Deng, X., & Castelli, D. (2011). University students meeting the recommended standards of physical activity and body mass index. Journal of Research, 6(1), 21-26. Recuperado de http://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ936016.pdf
Gresse, A., Steenkamp, L., & Pietersen, J. (2015). Eating, drinking and physical activity in faculty of health science students compared to other students at a South African university. South African Journal of Clinical Nutrition, 28(4), 154-159.
Jackson, A. S., Pollock, M. L., Graves, J. E., & Mahar, M. T. (1988). Reliability and validity of bioelectrical impedance in determining body composition. Journal of Applied Physiology, 64(2), 529-534.
Michelin, E., Corrente, J., & Burini, R. (2010). Associação dos níveis de atividade física com indicadores socioeconómicos, de obesidade e de aptidão física em adultos. Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde, 15(1), 35-41. Recuperado de https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/viewFile/694/694
Nassar, O., & Shaheen, A. (2014). Health-promoting behaviours of university nursing students in Jordan. Health, 6, 2756-2763. doi:10.4236/health.2014.619315
Pardini, R., Matsudo, S., Araújo, T., Matsudo, V., Andrade, E., Braggion, G., ... Raso, V. (2001). Validação do questionário internacional de nível de atividade física (IPAQ- versão 6): Estudo piloto em adultos jovens brasileiros. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 9(3), 45-51.
Paulo, R., Petrica, J., Martins, J., Pichetto, F., Faure-Rolland, F., & Magno, F. (2015). Estudo da relação entre a atividade física e a função respiratória: Análise da composição corporal e dos valores espirométricos de alunos portugueses e italianos. Motricidade, 11(1), 3-13. doi:10.6063/motricidade.2797
Pettersson, U., Nordström, P., & Lorentzon, R. (1999). A comparison of bone mineral density and muscle strength in young male adults with different exercise level. Calcified Tissue International, 64(6), 490-498. Recuperado de http://download.springer.com/static/pdf/930/art%253A10.1007%252Fs002239900639.pdf?originUrl=http%3A%2F%2Flink.springer.com%2Farticle%2F10.1007%2Fs002239900639&token2=exp=1468248348~acl=%2Fstatic%2Fpdf%2F930%2Fart%25253A10.1007%25252Fs002239900639.pdf%3ForiginUrl%3Dhttp%253A%252F%252Flink.springer.com%252Farticle%252F10.1007%252Fs002239900639*~hmac=bd82dcd52d4eb1cc1211320802af3308d97cf3642194ee8457c7943902cc0ab3
Pires, C., Mussi, F., Cerqueira, B., Pitanga, F., & Silva, D. (2013). Prática de atividade física entre estudantes de graduação em enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem, 26(5), 436-443. doi:10.1590/S0103-21002013000500006 
Reuter, C., Strein, C., & Vargas, D. (2012). Massa óssea e composição corporal em estudantes universitários. Revista da Associação Médica Brasileira, 58(3), 328-334. doi:10.1590/S0104-42302012000300013 
Silva, O., & Neto, C. (2014). Associação entre níveis de atividade física e transtorno mental comum em estudantes universitários. Motricidade, 10(1), 49-59. doi:10.6063/motricidade.10(1).2125 
Wengreen, H., & Moncur, C. (2009). Change in diet, physical activity, and body weight among young-adults during the transition from high school to college. Nutrition Journal, 8(2). doi: 10.1186/1475-2891-8-32
World Health Organization. (2010). Global Recommendations on physical activity for health. Geneva, Switzerland: Author. Recuperado de http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/44399/1/9789241599979_eng.pdf
Yildiz, H., Ersoy, A., & Arabaci, R. (2012). Investigation into physical activities, body compositions and nutritional habits of youth between 14-18 ages. European Journal of Educational Studies, 4(2), 239-248. Recuperado de http://ozelacademy.com/ejes4-2%208).pdf
Zanovec, M., Lajjakula, A., Johnson, L., & Turri, G. (2009). Physical activity is associated with percent body fat and body composition but not body mass index in white and black college students. International Journal of Exercise Science, 2(3), 175-185. Recuperado de http://digitalcommons.wku.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1065&context=ijes
Texto integral
Total: 0 registo(s)
08 Rev. Enf. Ref. RIV16028 ING.pdf
08 Rev. Enf. Ref. RIV16028.pdf


[ Detalhes da edição ]