Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Revalidação do Holistic Comfort Questionnaire – Family para cuidadores de pessoas com doença crónica avançada
Autores:  Rita Margarida Dourado Marques*; Maria dos anjos Dixe**; Ana Isabel Querido***; Patricia Pontifice Sousa****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2016-08-08
Aceite para publicação:  2016-11-18
Tipo:  Artigo de Investigação
Ano:  2016
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV16060

Resumo
Enquadramento: O conforto é fundamental na prática de enfermagem pelo que emerge a necessidade de instrumentos úteis e válidos para o avaliar.
Objetivos: Determinar as características psicométricas do Holistic Comfort Questionnaire – Family (HCQ-F) para a população Portuguesa e, avaliar o nível de conforto dos cuidadores de pessoas com doença crónica e avançada.
Metodologia: Estudo metodológico com uma análise do tipo quantitativo, realizado a 314 cuidadores. Para o estudo das propriedades psicométricas, calculámos medidas descritivas de resumo, correlações de cada item com o total e, o alfa de Cronbach. Para a análise fatorial, utilizámos a rotação ortogonal do tipo varimax e a extração de fatores com valores próprios > 1.
Resultados: Da determinação da consistência interna e análise fatorial dos itens do HCQ-F resultou o Holistic Comfort Questionnaire – Cuidadores – Portugal (HCQ-C-PT) com 18 itens que se distribuíram por 3 fatores: alívio, tranquilidade e transcendência (α=0,795).
Conclusão: Os resultados sugerem que o HCQ-C-PT apresenta validade e consistência interna adequados para avaliar o conforto em cuidadores de pessoas com doença crónica avançada.

Palavras-chave
conforto; cuidadores; doença crónica
Apóstolo, J., & Kolcaba, K. (2009). The effects of guided imagery on comfort, depression, anxiety, and stress of psychiatric inpatients with depressive disorders. Archives of Psychiatric Nursing, 23(6), 403-411. doi: 10.1016/j.apnu.2008.12.003
Conselho Internacional de Enfermeiros. (2011). CIPE versão 2: Classificação Internacional para a Prática De Enfermagem. Recuperado de http://associacaoamigosdagrandeidade.com/wp-content/uploads/filebase/guias-manuais/ORDEM%20ENFERMEIROS%20cipe.pdf
Direcção-Geral da Saúde, Divisão de Doenças Genéticas, Crónicas e Geriátricas. (2005). Programa Nacional de Cuidados Paliativos. Recuperado de http://1nj5ms2lli5hdggbe3mm7ms5.wpengine.netdna-cdn.com/files/2015/08/Programa-Nacional-de-Cuidados-Paliativos.pdf
Fortin, M. F. (2009). Fundamentos e etapas do processo de investigação. Loures, Portugal: Lusodidacta.
Johnson, M., Bulechek, G., Butcher, H., Dochterman, J., Maas, M., Moorhead, S., & Swanson, E. (2009). Ligações entre NANDA-I, NOC e NIC: Diagnósticos, resultados e intervenções (2ª ed.). Porto Alegre, Brasil: Artmed.
Kim, K., & Kwon, S. (2007). Comfort and quality of life of cancer patients. Asian Nursing Research, 1(2), 125-135. doi: 10.1016/S1976-1317(08)60015-8
Kolcaba, K. (1991). A taxonomic structure for the concept comfort. Journal of Nursing Scholarship, 23(4), 237-240. doi: 10.1111/j.1547-5069.1991.tb00678.x
Kolkaba, K. (2001). Evolution of the Mid Range Theory of Comfort for Outcomes Research. Nursing Outlook. Washington. 49(2), 86-92. doi: 10.1067/mno.2001.110268
Kolcaba, K. (2003). Comfort theory and practice: A vision for holistic health care and research. New York, NY: Springer Publishing Company.
Marôco, J. (2014). Análise estatística com utilização do SPSS (6ª ed.). Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
Matos, M. J. (2012). O conforto da família em cuidados paliativos: Tradução e validação para a população portuguesa do Holistic Comfort Questionnaire (family). (Dissertação de mestrado). Universidade Católica Portuguesa, Porto, Portugal.
Mok, E., Lam, W., Chan, L., Lau, K., Ng, J., & Chan, K. (2010). The meaning of hope from the perspective of Chinese advanced cancer patients in Hong Kong. International Journal of Palliative Nursing, 16(6), 298-305. doi: 10.12968/ijpn.2010.16.6.48836
Novak, B., Kolcaba, K., Steiner, R., & Dowd, T. (2001). Measuring comfort in caregivers and patients during late end-of-life care. American Journal of Hospice and Palliative Medicine, 18(3), 170-180. doi: 10.1177/104990910101800308
Pereira, S. M. (2010). Cuidados paliativos: Confrontar a morte. Lisboa, Portugal: Universidade Católica Editora.
Rezende, V., Derchain, S., Botega, N., Sarian, L., Vial, D., Morais, S., & Perdicaris, A. (2010). Avaliação psicológica dos cuidadores de mulheres com câncer pelo General Comfort Questionnaire. Páideia, 20(46), 229-237. doi: 10.1590/S0103-863X2010000200010
Ribeiro, J. L. (2010). Metodologia de investigação em psicologia e saúde (3ª ed.). Porto, Portugal: Legis Editora.
Sousa, P. P. (2014). O conforto da pessoa idosa. Lisboa, Portugal: Universidade Católica Editora.
Sousa, P., Marques, R., Costa, M., & Dixe, M. (2011). O conforto do doente idoso com doença crónica e de cuidadores informais em contexto de hospitalização. International Journal of Developmental and Educational Psychology, 1(3), 457-466.
Streiner, D., & Norman, G. (2008). Health measurement scales: A practical guide to their development and use (4th ed.). New York, NY: Oxford University Press.
Szareski, C, Beuter, M., & Brondani, C. (2009). Situações de conforto e desconforto vivenciadas pelo acompanhante na hospitalização do familiar com doença crónica. Ciência, Cuidado e Saúde, 8(3), 378-384. doi: 10.4025/cienccuidsaude.v8i3.9020
Yousefi, H., Abedi, H., Yarmohammadian, M., & Elliott, D. (2009). Comfort as a basic need in hospitalized patients in Iran: A hermeneutic phenomenology study. Journal of Advanced Nursing, 65(9), 1891-1898. doi: 10.1111/j.1365-2648.2009.05026.x
Texto integral
Total: 0 registo(s)
09 Rev. Enf. Ref. RIV16060 ING.pdf
09 Rev. Enf. Ref. RIV16060.pdf


[ Detalhes da edição ]