Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Intervenções na escola para prevenção da violência nas relações de intimidade entre adolescentes: revisão integrativa da literatura
Autores:  Diene Monique Carlos*; Ana Beatriz Campeiz**; Jorge Luiz da Silva***; Maria Isabel Domingues Fernandes****; Maria Neto da Cruz Leitão*****; Marta Angelica Iossi Silva******; Maria das Graças Carvalho Ferriani*******
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-03-27
Aceite para publicação:  2017-05-26
Secção:  ARTIGOS DE REVISÃO / REVIEW PAPERS ARTIGOS_TEÓRICOS-ENSAIOS / THEORETICAL PAPERS/ESSAYS
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17030

Resumo
Enquadramento: A violência nas relações de intimidade (VRI) quando ocorre na adolescência configura-se como um problema considerado mais grave por impactar negativamente o desenvolvimento saudável e por se constituir prenunciador da violência conjugal e intrafamiliar.
Objetivos: Identificar os tipos de intervenção de prevenção primária da VRI entre adolescentes que têm sido implementados em contexto escolar.
Metodologia: Revisão integrativa de literatura nas bases PubMed, CINAHL, Lilacs, e na biblioteca virtual SciELO.
Resultados: Doze estudos compuseram a presente revisão. As intervenções foram identificadas por meio de 3 categorias, multicomponentes, direcionadas ao desenvolvimento de habilidades, e baseadas em teatro/dramatização. Os estudos apresentaram resultados homogéneos. Especificidades de população e abordagem foram discutidas.
Conclusão: Importantes contribuições para delineamento das intervenções de prevenção da VRI foram apresentadas, como a necessidade de embasamento teórico; aproximação do contexto de vida dos adolescentes e trabalho junto aos expectadores.


Palavras-chave
violência por parceiro íntimo; adolescente; prevenção primária; serviços de enfermagem escolar; literatura de revisão como assunto
Centers for Disease Control and Prevention. (2016). Understanding teen dating violence. Fact Sheet. Atlanta, USA: Author. Recuperado de https://www.cdc.gov/violenceprevention/pdf/teen-datingviolence-factsheet-a.pdf
Collins, W. A., Welsh, D. P., & Furman, W. (2009). Adolescent romantic relationships. Annual Review of Psychology, 60, 631-652. doi: 10.1146/annurev.psych.60.110707.163459
DeGue, S., Anne Valle, L., Holt, M.K., Massetti, G., Matjoska, J. L., & Teten Tharp, A. (2014). A systematic review of primary prevention strategies for sexual violence perpetration. Aggression and Violence Behavior, 19(4), 346-362. doi:10.1016/j.avb.2014.05.004
Ellsberg, M., Arango, D.J., Morton, M., Gennari, F.,Kiplesund, S., Contreras, M., & Watts, C. (2015). Prevention of violence against women and girls: What does the evidence say? Lancet, 385(9977), 1555-1566. doi: 10.1016/S0140-6736(14)61703-7
Enriquez, M., Kelly, P., Cheng, A. L., Hunter, J., & Mendes, E. (2012). An intervention to address interpersonal violence among low-income midwestern Hispanic-American teens. Journal of
Immigrant and Minority Health, 14(2), 292-299. doi:10.1007/s10903-011-9474-5
Latane, B., & Darley, J. M. (1970). The unresponsive bystander: Why doesn’t he help. New York: Appleton-Century-Crofts.
Malta, D. C., Mascarenhas, M. D., Dias, A. R., Prado, R. R., Lima, C. M., Silva, M. M., & Silva Junior, J. B. (2015). Situations of violence experienced by students in the state capitals and the Federal District: Results from the national adolescent school-based health survey (PeNSE 2012). Revista Brasileira de Epidemiologia, 17(1), 158-171. doi: 10.1590/1809-4503201400050013.
McMahon, S. (2010). Rape myth beliefs and bystander attitudes among incoming college students. Journal of American college health, 59(1), 3–11. doi: http://doi.org/10.1080/07448481.2010.483715
Mendes, K. S., Silveira, R. C., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: Método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto e Contexto Enfermagem, 17(4), 758-764. doi:10.1590/S0104-07072008000400018
Orpinas, P., Hsieh, H. L., Song, X., Holland, K., & Nahapetyan, L. (2013). Trajectories of physical dating violence from middle to high school: Association with relationship quality and acceptability of aggression. Journal of Youth and Adolescence, 42(4), 551-565. doi: 10.1007/s10964-012-9881-5
Pelligrini, A. D., & Long, J. D. (2003). A sexual selection theory longitudinal analysis of sexual segregation and integration in early adolescence. Journal of Experimental Child Psychology, 85(3), 257-278. doi:10.1016/S0022-0965(03)00060-2
Ulloa, E., Jaycox, L., Skinner, S., & Orsburn, M. (2008). Attitudes about violence and dating among Latino/a boys and girls. Journal of Ethnic & Cultural Diversity in Social Work, 17(2), 157-176. doi:10.1080/15313200801941721
World Health Organization. (2014). Global status report on violence prevention. Geneva, Switzerland: Author.
World Health Organization. (2017). Global accelerated action for the health of adolescents (AA-HA!): Guidance to support country implementation. Geneva, Switzerland: Author.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Sept2017_133to146_eng.pdf
REF_Sept2017_133to146_port.pdf


[ Detalhes da edição ]