Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  O uso do simulador de velhice em estudantes de enfermagem: uma scoping review
Autores:  Adriana Coelho*; Vítor Parola**; Daniela Cardoso***; Susana Duarte****; Maria Almeida*****;
João Apóstolo******
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-06-09
Aceite para publicação:  2017-07-13
Secção:  ARTIGOS DE REVISÃO / REVIEW PAPERS ARTIGOS_TEÓRICOS-ENSAIOS / THEORETICAL PAPERS/ESSAYS
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17050

Resumo
Contexto: O recurso à simulação, na formação de enfermeiros, tem aumentado nas últimas décadas e proporcionado a aquisição e desenvolvimento de várias competências. Contudo, os dados relativos à utilização específica do simulador de velhice encontram-se dispersos na literatura.
Objetivo: Mapear intervenções com o simulador de velhice, implementadas em estudantes de enfermagem.
Método de revisão: Scoping review com base nos princípios preconizados pelo Joanna Briggs Institute. Dois revisores independentes realizaram a análise de relevância dos artigos, a extração e síntese dos dados.
Apresentação e interpretação dos resultados: Dois estudos foram incluídos na revisão. A intervenção oscilou entre 1 e 3 horas de duração, entre a utilização do fato de simulação completo e apenas alguns constritores. Foram implementados instrumentos de avaliação de empatia e de eficácia na aprendizagem. Ambos os estudos foram implementados em estudantes do 2º ano da licenciatura.
Conclusão: As características da intervenção, duração e os instrumentos de avaliação diferem entre estudos. Mais estudos devem ser realizados para determinar o efeito/vivências da implementação do simulador de velhice na aquisição e desenvolvimento de competências.


Palavras-chave
revisão; envelhecimento; enfermagem; simulação
Almeida, M. (2013). Simulação da experiência sensorial e motora de ser idoso. In Livro de Atas do II Congresso Ibero-Americano de Psicologia da Saúde e III Congresso Luso-Brasileiro de Psicologia da Saúde, Faro, Portugal.
Chen, A., Kiersma, M., Yehle, K., & Plake, K. (2015a). Impact of an aging simulation game on pharmacy students’ empathy for older adults. American Journal of Pharmaceutical Education, 79(5). doi:10.5688/ajpe79565
Chen, A., Kiersma, M., Yehle, K., & Plake, K. (2015b). Impact of the geriatric medication game® on nursing students’ empathy and attitudes toward older adults. Nurse Education Today, 35(1), 38–43. doi:10.1016/j.nedt.2014.05.005
Dunkin, B., Adrales, G. L., Apelgren, K., & Mellinger, J. D. (2007). Surgical simulation: A current review. Surgical Endoscopy, 21(3), 357–366. doi:10.1007/s00464-006-9072-0
Godoy, S., & Marchi-Alves, L. (2014). Preparação e desenvolvimento de prática em Centro de Simulação: Aspetos básicos. In A simulação no ensino de enfermagem (pp. 183–188). Coimbra, Portugal: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.
Gonçalves, R., Coutinho, V., & Lobão, C. (2014). Simulação e desenvolvimento de competências. In A simulação no ensino de enfermagem (pp.125-133). Coimbra, Portugal: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.
Institute of Medicine. (2011). The future of nursing: Leading change, advancing health. Washington, WA: The National Academies Press.
Martins, J., Mazzo, A., Mendes, I. A., & Rodrigues, M. A. (2014). A simulação no ensino de enfermagem. Coimbra, Portugal: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.
Organização Mundial da Saúde. (2015). Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. Genebra, Suíça.
Pacala, J. T., Boult, C., Bland, C., & O’Brien, J. (1995). Aging game improves medical students’ attitudes toward caring for elders. Gerontology and Geriatrics Education, 15(4). doi:10.1300/J021v15n04_05
Pearson, A., Wiechula, R., Court, A., & Lockwood, C. (2005). The JBI model of evidence-based
healthcare. International Journal of Evidence-Based Healthcare, 3(8), 207–15. doi:10.1111/j.1479-6988.2005.00026.x
Peters, M., Godfrey, C., Khalil, H., McInerney, P., Parker, D., & Soares, C. (2015). Guidance for conducting systematic scoping reviews. International Journal of Evidence-Based Healthcare, 13(3), 141–146. doi:10.1097/XEB.0000000000000050
Peters, M., Godfrey, C., McInerney, P., Baldini Soares, C., Khalil, H., & Parker, D. (2015). Methodology for JBI scoping reviews. In The Joanna Briggs Institute Reviewers’ Manual 2015. (pp. 1–24). Adelaide, Australia: The Joanna Briggs Institute.
Robinson, S., & Rosher, R. (2001). Effect of the “halffull aging simulation experience” on medical students’ attitudes. Gerontology & Geriatrics Education, 21(3), 3–12. doi: doi.org/10.1300/J021v21n03_02
Samra, R., Griffiths, A., Cox, T., Conroy, S., & Knight, A. (2013). Changes in medical student and doctor attitudes toward older adults after an intervention: A Systematic Review. Journal of the American Geriatrics Society, 61(7), 1188–1196. doi:10.1111/jgs.12312
Tremayne, P., Burdett, J., & Utecht, C. (2011). Simulation suit aids tailored care. Nursing Older People, 23(7), 19–22. doi:10.7748/nop2011.09.23.19.c8678
Vanlaere, L., Coucke, T., & Gastmans, C. (2010). Experiential learning of empathy in a care-ethics lab. Nursing Ethics, 17(3), 325–336. doi:10.1177/0969733010361440
Ventura, C. (2014). Enquadramento e justificação ética: Ética e simulação em Enfermagem. In A simulação no ensino de enfermagem (pp. 29-38). Coimbra, Portugal: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem, Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.
Williams, J., & Stickley, T. (2010). Empathy and nurse education. Nurse Education Today, 30(8), 752–755. doi:10.1016/j.nedt.2010.01.018
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Sept2017_147to158_eng.pdf
REF_Sept2017_147to158_port.pdf


[ Detalhes da edição ]