Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  A formação relacionada com a sexualidade humana na perceção de estudantes de enfermagem
Autores:  Maria das Neves Figueiroa*; Maria Lúcia Neto de Menezes**; Estela Maria Leite Meirelles Monteiro***;
Ângela Roberta Lessa de Andrade****; Débora Priscila Ferreira Fraga*****; Monique Vieira de Oliveira******
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-05-24
Aceite para publicação:  2017-10-04
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17044

Resumo
Enquadramento: A sexualidade é um componente inerente à vida de todos os seres humanos. Desenvolve-se num processo contínuo, que se inicia antes do nascimento e só se encerra com a morte.
Objetivos: Compreender a perceção dos universitários do curso de enfermagem sobre o conceito de sexualidade e a importância do estudo da temática da sexualidade na formação profissional.
Metodologia: Estudo descritivo, exploratório, utilizando metodologia qualitativa. A colheita de dados realizou-se a partir de entrevistas e análise de conteúdo.
Resultados: Os entrevistados relacionaram a sexualidade com uma necessidade biológica que vai além do ato sexual e é influenciada por fatores psicológicos e culturais. Relataram a importância da temática, destacando que o tema foi visto durante a graduação de forma superficial.
Conclusão: A sexualidade constitui-se como temática fundamental na formação do profissional enfermeiro e precisa de ser mais e melhor explorada nos cursos de graduação, inclusive para ampliar e otimizar a atuação destes profissionais de saúde em espaços que contemplem a abordagem da sexualidade como uma dimensão da vida, onde
acontecem importantes experiências singulares.

Palavras-chave
educação em enfermagem; sexualidade; estudantes de enfermagem
Alves, A. D. (2014). Desenvolvimento e aplicações de ferramentas computacionais para o mapeamento de produção científica. Recuperado de https://www.capes.gov.br/images/stories/download/pct/mencoeshonrosas/225153.pdf
Cavalcante, R. B., Calixto, P., & Pinheiros, M. M. (2014). Análise de conteúdo: Considerações gerais, relações com a pergunta de pesquisa, possibilidades e limitações do método. Informação e Sociedade: Estudos, 24(1), 13-18. Recuperado de http://www.ies.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/10000/10871
Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Superior. (2001). Resolução CNE/CES nº 3, de 7 de novembro de 2001: Institui diretrizes curriculares nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Recuperado de http://www.santosjunior.com.br/Legislacao/resolucaocneces0307112001.pdf
Foucalt, M. (2015). A história da sexualidade: A vontade de saber (3ª ed., Vol. 1) (M. T. Albuquerque & J. A. Albuquerque, Trads.). Rio de Janeiro, Brasil: Paz e Terra, 2015. Galati, M. C., Alves, E. O., Jr., Delmaschio, A. C., & Horta, A. L. (2014). Sexualidade e qualidade de vida em homens com dificuldades sexuais. Psico-USF, 19(2), 242-252. doi: 10.1590/1413-82712014019002014
Garcia, O. R., & Lisboa, L. C. (2012). Consulta de enfermagem em sexualidade: Um instrumento para assistência de enfermagem à saúde da mulher, em nível de atenção primária. Texto e Contexto em Enfermagem, 21(3), 708–716. doi: 10.1590/S0104-07072012000300028
Junqueira, L. C., Vieira, E. M., Giami, A., & Santos. M. A. (2013). Análise da comunicação acerca da sexualidade, estabelecida pelas enfermeiras, com pacientes no contexto assistencial do câncer de mama. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 17(44), 89–101. doi: 10.1590/S1414-32832013000100008
Miranda, C. S., Santos, V. N., & Oliveira, G. F. (2015). A sexualidade sob o olhar transdisciplinar: Desafios para a prática docente. In XII Congresso Nacional em Educação, Curitiba, Brasil, 26-29 Outubro 2015 (pp. 12328-12339). Recuperado de http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/19127_9411.pdf
Moizés, J. S., & Bueno, S. M. (2010). Compreensão sobre sexualidade e sexo nas escolas segundo professores do ensino fundamental. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44(1), 205–212. doi: 10.1590/S0080-62342010000100029
Nogueira, I. S., Rodrigues, D. M., Labegalini, C. M., Lopes, M. C., & Baldissera, V. D. (2017). A perceção e formação dos acadêmicos de enfermagem acerca da sexualidade humana. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online, 9(3), 614-619. doi:10.9789/2175-5361.2017.v9i3.614-619
Ollaik, L. G., & Ziller, H. M. (2012). Concepções de validade em pesquisas qualitativas. Educação e Pesquisa, 38(1), 229-241. doi: 10.1590/S1517-97022012005000002
Pereira, Z. M., & Monteiro, S. (2015). Gênero e sexualidade no ensino de ciências no Brasil: Análise da produção científica. Revista Contexto e Educação, 30(95), 117-146. doi: 10.21527/2179-1309.2015.95.117-146
Reis, F., Muzzeti, L. R., & Leão, A. M. (2014). Sexualidade e infância: Contribuições da educação sexual em face da erotização da criança em veículos midiáticos. Revista Contrapontos, 14(3), 634-650. doi: 10.14210/contrapontos.v14n3.p634-650
Rezende, A. V., & Sobral, O. J. (2016). As temáticas relativas à sexualidade humana na formação superior do profissional de enfermagem. Revista Científica FacMais, 5(1), 25-39. Recuperado de http://revistacientifica.facmais.com.br/wp-content/uploads/2016/06/2-%20As%20tem%c3%a1ticas%20relativas%20%c3%a0%20sexualidade%20humana%20na%20forma%c3%a7%c3%a3o%20superior%20do%20profissional%20de%20Enfermagem.pdf
Rodrigues, C. P., & Wechsler, A. M. (2014). A sexualidade no ambiente escolar: A visão dos professores de educação infantil. Cadernos de Educação: Ensino e Sociedade, 1(1), 89-104. Recuperado de http://www.unifafibe.com.br/revistasonline/arquivos/cadernodeeducacao/sumario/31/04042014074026.pdf
Rufino, A. C., Medeiros, A. P., & Girão, M. J.(2013). O ensino da sexualidade nos cursos médicos: A perceção de estudantes do Piauí. Revista Brasileira de Educação Médica, 37(2), 176-185. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/rbem/v37n2/04.pdf
Sehnem, G. D., Pedro, E. N., Budó, M. L., Silva, F. M., & Ressel, L. B. (2014). A construção da sexualidade de estudantes de enfermagem e suas perceções acerca da temática. Ciencia y Enfermería, 20(1), 111-121. doi: 10.4067/S0717-95532014000100010
Sehnem, G. D., Ressel, L. B., Pedro, E. N., Budó, M. L., & Silva, F. M. (2013). A sexualidade no cuidado de enfermagem: Retirando véus. Ciência Cuidado e Saúde, 12(1), 72-79. doi: 10.4025/cienccuidsaude.v12i1.16639
Sehnem, G. D., Ressel, L. B., Junges, C. F., Silva, F. M., & Barreto, C. N. (2013). Sexualidade na formação acadêmica do enfermeiro. Escola Anna Nery, 17(1), 90–96. doi: 10.1590/S1414-81452013000100013
Toneli, M. J. (2012). Sexualidade, gênero e gerações: Continuando o debate. In Gênero e sexualidade: História, condições e lugares. Rio de Janeiro, Brasil: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_dez2017_21to30_eng.pdf.pdf
REF_dez2017_21to30_port.pdf.pdf


[ Detalhes da edição ]