Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Contributos para a tradução e validação da escala Adapted Illness Intrusiveness Ratings no contexto português
Autores:  Elisabete Lamy da Luz*; Fernanda Santos Bastos**; Margarida Maria Silva Vieira***; Edgar Martins Mesquita****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-05-26
Aceite para publicação:  2017-09-25
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17045

Resumo
Enquadramento: A adaptação e validação da escala Adapted Illness Intrusiveness Ratings Scale é um estudo de tradução e medição das suas propriedades psicométricas, permitindo avaliar a sua validade e confiabilidade. Procedemos à sua adaptação e validação devido ao facto de não ter sido ainda realizado no contexto português.
Objetivos: Tradução e validação da escala.
Metodologia: O instrumento foi aplicado a uma amostra de conveniência de 271 pessoas com doença crónica, comidades compreendidas entre os 18 e os 65 anos residentes em Lisboa. Para avaliar as suas propriedades psicométricas recorreu-se a análise fatorial exploratória. Confirmou-se o modelo proposto pelo autor através da análise fatorial confirmatória.
Resultados: Da análise fatorial com rotação Varimax resultaram 3 dimensões (Atividades Instrumentais, Intimidade, Relacionamento e Desenvolvimento Pessoal) explicando 73,24% da variância total. A escala revelou uma consistência interna global de 0,92.
Conclusão: A escala mostrou ser um instrumento fiável, válido e útil para medir a perceção da interferência da doença crónica na vida das pessoas.

Palavras-chave
doença crónica; perfil de impacto da doença; avaliação em enfermagem
Albright, J. J., & H. M. Park. (2009). Confirmatory factor analysis using amos, LISREL, Mplus, and
SAS/STAT CALIS. In The University Information Technology Services (UITS) Center for Statistical and Mathematical Computing, EUA: Indiana, 2008 (1-75). Indiana University.
Bentler, P. M. (2006). EQS 6 Structural Equations Program Manual. Encino, CA: Multivariate Software, Inc.
Brown, T. A., & Moore, M. T. (2012). Confirmatory factor analysis. In R. Hoyle (Ed.), Handbook of structural equation modelling (pp. 361-379). New York, NY: The Guilford Press.
Carter, J., Bewell, C., & Devins, G. (2008). Illness intrusiveness in anorexia nervosa. Journal of Psychosomatic Research, 64(5), 519–526. doi:10.1016/j.jpsychores.2008.01.001
Devins, G. M., Binik, Y. M., Hutchinson, T. A., Hollomby, D. J., Barré, P. E., & Guttmann, R. D. (1983). The emotional impact of end stage renal disease: Importance of patient´s perceptions of intrusiveness and control. International Journal of Psychiatry in Medicine, 13(4), 327-343. doi:10.2190/5DCP-25BV-U1G9-9G7C
Devins, G. (2010). Using the illness intrusiveness ratings scale to understand health related quality of life in chronic disease. Journal of Psychosomatique Research, 68(6), 591-602.
Fortin, M. (2009). Fundamentos e etapas do processo de investigação. Loures, Portugal: Lusodidacta.
Hill, M. M., & Hill, A, (2008). Investigação por questionário. Lisboa, Portugal: Sílabo.
Hu, L. T., & Bentler, P. M. (1995). Evaluating model fit. In R. H. Hoyle (Ed.), Structural equation modeling: Concepts, issues, and applications (pp. 76-99). Thousand Oaks, CA: Sage.
Jackson, D. L., & Gillaspy, J. A. (2009). Reporting practices in confirmatory factor analysis: An overview and some recommendations. Psychological Methods, 14(1), 6-23. doi:10.1037/a0014694
Marôco, J. (2014a). Análise de equações estruturais: Fundamentos teóricos, software & aplicações. Lisboa, Portugal:Sílabo.
Marôco, J. (2014b). Análise estatística com o SPSS Statistics. Loures, Portugal: ReportNumber.
Mesquita, E. (2013). Estudos bioestatísticos em leucemias mielóides agudas e linfomas (Dissertação de mestrado). Universidade do Minho, Escola de Ciências, Portugal.
Molzon, E., Ramsey, R., & Suorsa, K. (2013). Using Factor structure of the ilness intrusiveness ratings scale in young adults with allergies and asthma. Journal of Asthma and Allergy Educators, 4(2). doi:10.1177/2150129713478441
Novak, M., Mah, K., Zs, M., & Devins, G. (2005).Factor structure and reliability of the Hungarian version of the illness intrusiveness scale: Invariance across North American and Hungarian dialysis patients. Journal of Psychosomatic Research, 58(1), 103-110. doi:10.1016/j.jpsychores.2004.05.008
Polit, D, H. (2004). Fundamentos de pesquisa em enfermagem: métodos, avaliação utilização. Porto Alegre, Brasil: Artmed.
Schmitt, T. A. (2011). Current methodological considerations in exploratory and confirmatory factor analysis. Journal of Psychoeducational Assessment, 29(4), 304-321. doi:10.1177/0734282911406653
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_dez2017_43to54_eng.pdf.pdf
REF_dez2017_43to54_port.pdf.pdf


[ Detalhes da edição ]