Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Terapia de reminiscência: construção de um programa para pessoas idosas com declínio cognitivo em contexto institucional
Autores:  Isabel Maria de Assunção Gil*; Paulo Jorge dos Santos Costa**; Elzbieta Malgorzata Bobrowicz-Campos***;
Daniela Filipa Batista Cardoso****; Maria de Lurdes Ferreira de Almeida*****; João Luís Alves Apóstolo******
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-06-12
Aceite para publicação:  2017-09-28
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17052

Resumo
Enquadramento: A ausência, ao nível nacional, de modelos de intervenção estruturados, dirigidos a pessoas idosas com declínio cognitivo, tem sido apontada como um dos principais obstáculos à eficácia da terapia de reminiscência (TR) em contexto institucional. Assim, emerge a necessidade de se desenvolverem e validarem programas de TR bem-definidos e replicáveis, de modo a colmatar a lacuna identificada.
Objetivos: Construir e validar um programa de TR.
Metodologia: Foram seguidas as diretrizes para desenvolvimento de intervenções complexas do Medical Research Council. A conceptualização do programa decorreu em 4 fases distintas, incluindo fase preliminar, modelagem, Teste de campo e conferência de consensos.
Resultados: O processo de validação resultou num programa composto por uma vertente principal e uma vertente de manutenção, num total de 21 sessões para aplicar em grupo.
Conclusão: O programa de TR, estruturado e validado no decorrer deste estudo, demonstrou características ajustadas ao contexto e população-alvo, tendo o construto significado para as pessoas. A eficácia do programa de TR será testada num
estudo piloto a ser desenvolvido.

Palavras-chave
disfunção cognitiva; idoso; desenvolvimento de programas; terapia reminiscência
Berg, A., Sadowski, K., Beyrodt, M., Hanns, S., Zimmermann, M., Langer, G., ... Behrens, J. (2010). Snoezelen, structured reminiscence therapy and 10-minutes activation in long term care residents with dementia (WISDE): Study protocol of a cluster randomized controlled trial. BMC geriatrics, 10(1), 1. doi:10.1186/1471-2318-10-5
Bohlmeijer, E., Roemer, M., Cuijpers, P., & Smit, F. (2007). The effects of reminiscence on psychological well-being in older adults: A meta-analysis. Aging & Mental Health, 11(3), 291–300. doi:10.1080/13607860600963547
Brooke, P., & Bullock, R. (1999). Validation of a 6 item cognitive impairment test with a view to primary care usage. International Journal of Geriatric Psychiatry, 14(11), 936-940. doi:10.1002/(SICI)1099-1166(199911)14:11<936::AID-GPS39>3.0.CO;2-1
Cotelli, M., Manenti, R., & Zanetti, O. (2012). Reminiscence therapy in dementia: A review. Maturitas, 72(3), 203-205. doi:10.1016/j.maturitas. 2012.04.008
Craig, P., Dieppe, P., Macintyre, S., Michie, S., Nazareth, I., & Petticrew, M. (2008). Developing and evaluating complex interventions: The new medical research council guidance. BMJ, 337, a1655. doi:10.1136/bmj.a1655
Direção-Geral da Saúde (2016). Portugal: Saúde mental em números: 2015. Recuperado de http://www.apah.pt/media/publicacoes_tecnicas_sector_saude_ 2/Saude_Mental.p
Gonçalves, D. (2006). Estimulação e promoção de memórias autobiográficas específicas como metodologia de diminuição de sintomatologia depressiva em pessoas idosas (Dissertação de mestrado não publicada). Universidade do Minho, Portugal. Recuperado de http://hdl.handle.net/1822/6506
Gonçalves, D. C., Albuquerque, P. B., & Martín, I. (2008). Reminiscência enquanto ferramenta de trabalho com idosos: Vantagens e limitações. Análise Psicológica, 1(26), 101–110. Recuperado de http://www.scielo.mec.pt/pdf/aps/v26n1/v26n1a08.pdf
Kuske, B., Luck, T., Hanns, S., Matschinger, H., Angermeyer, M. C., Behrens,J., & Riedel-Heller, S. G. (2009). Training in dementia care: A cluster-ran domized controlled trial of a training program for nursing homestaff in Germany. International Psychogeriatrics, 21(2), 295–308. doi:10.1017/S1041610208008387
Lopes, T. S., Afonso, R., & Ribeiro, O. M. (2013). Programa de reminiscência simples para pessoas idosas con demência. International Journal of Developmental and Educational Psychology/INFAD Revista de Psicología, 2(1), 107–118. Recuperado de http://dehesa.unex.es:8080/xmlui/handle/10662/1093
Paiva, D., & Apóstolo, J. (2015). Estudo de adaptação transcultural e validação do Six Item Cognitive Impairment Test. In J. Apóstolo & M. Almeida (Eds.), Elderly health care nursing (Mon. ser. 13, pp. 3-18).Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/282869029_Paiva_Diana_S_Apostolo_Joao_L_A_2015_Estudo_de_adaptacao_transcultural_e_validacao_do_Six_Item_Cognitive_Impairment_Test_In_J_Apostolo_M_Almeida_Eds_Elderly_Health_Care_Nursing_Monographic_Series_-_He
Stinson, C. K. (2009). Structured group reminiscence: An intervention for older adults. Journal of Continuing Education in Nursing, 40(11), 521-528. doi:10.3928/00220124-20091023-10
Subramaniam, P., & Woods, B. (2012). The impact of individual reminiscence therapy for people with dementia: Systematic review. Expert Review of Neurotherapeutics, 12(5), 545–555. doi:10.1586/ern.12.35
Webster, J. D., Bohlmeijer, E. T., & Westerhof, G. J. (2010). Mapping the future of reminiscence: A conceptual guide for research and practice. Research on Aging, 32(4), 527-564. doi:10.1177/0164027510364122
World Health Organization. (2015). First WHO ministerial conference on global action against dementia. Recuperado de http://www.who.int/nmh/conference-on-dementia-march2015-concept-note.pdf
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_dez2017_121to132_eng.pdf.pdf
REF_dez2017_121to132_port.pdf.pdf


[ Detalhes da edição ]