Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Transporte inter-hospitalar do doente crítico: a realidade de um hospital do nordeste de Portugal
Autores:  Andreia Catarina Gonçalves da Graça*; Norberto Anibal Pires da Silva**; Teresa Isaltina Gomes Correia***;
Matilde Delmina da Silva Martins****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2017-05-24
Aceite para publicação:  2017-10-23
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV17042

Resumo
Enquadramento: A necessidade de transferir doentes entre instituições de saúde é um assunto incontestavelmente atual.
Objetivo: Caracterizar o tipo de acompanhamento dos doentes sujeitos a transporte inter-hospitalar.
Metodologia: Estudo transversal retrospetivo. Estudaram-se 184 doentes, oriundos de um serviço de urgência do nordeste de Portugal, sujeitos a transporte inter-hospitalar com acompanhamento da equipa própria do serviço, entre novembro de 2015 e outubro de 2016.
Resultados: Do total dos doentes transferidos, 58,7% era do género masculino, 33,2% com idades entre os 71-80 anos e o diagnóstico mais frequente foi a doença neurológica (31,5%). Verificou-se que 15,8% dos doentes apresentaram score de risco entre 0-2, 45,7% apresentaram score entre 3-6 pontos, 18,5% tiveram score ≥ 7 pontos e 20,1% tiveram score < 7 pontos e item com pontuação 2. Foram acompanhados por enfermeiro 77,2% e médico e enfermeiro 22,8%.
Conclusão: O score de risco influencia o tipo de acompanhamento no transporte inter-hospitalar. Os doentes com score de risco mais elevado foram acompanhados maioritariamente por médico e enfermeiro.


Palavras-chave
transporte de pacientes; cuidados críticos; assistência ao paciente
Comissão de Reavaliação da Rede Nacional de Emergência/Urgência. (2012). Reavaliação da Rede Nacional de Emergência e Urgência. Recuperado de http://www.portaldasaude.pt/NR/rdonlyres/0323CC-90-45A4-40E4-AA7A-7ACBC8BF6C75/0/ReavaliacaoRedeNacionalEmergenciaUrgancia.pdf
Despacho nº 10319/14 de 11 de agosto. (2014). Diário da República nº 153/14, II Série. Assembleia da República.Lisboa, Portugal.
Direção-Geral da Saúde. (2014). Portugal: Idade maior em números. Recuperado de https://www.dgs.pt/estatisticas-de-saude/estatisticas-de-saude/publicacoes/portugal-idade-maior-em-numeros-2014-pdf.aspx .
Droogh, J., Smit, M., Absalom, A., Ligtenberg, J., & Zijlstra, J. (2015). Transferring the critically ill patient: Are we there yet?. Crit Care, 19(1), 62-68.doi: 10.1186/s13054-015-0749-4
Etxebarría, M. J., Serrano, S., Ruiz, R., CÍa, M., Olaz,F., & López, J. (1998). Prospective application of risk scores in the interhospital transport of patients. Eur J Emerg Med, Mar, 5(1),13-7.
Instituto Nacional de Emergência Médica. (2012). Transporte do doente crítico. Lisboa, Portugal.
Kulshrestha, A., & Singh, J. (2016). Inter-hospital and intra-hospital patient transfer: Recent concepts. Indian Journal of Anaesthesia, 60(7), 451-457. doi: 10.4103/0019-5049.186012.
Lacerda, M., Cruvinel, M., & Silva, W. (2011). Transporte de pacientes: Intra-hospitalar e inter-hospitalar. Recuperado de http://www.pilotopolicial.com.br/transporte-de-pacientes-intra-hospitalar-e-inter-hospitalar/ .
Nunes, F. (2009). Tomada de decisão do enfermeiro no transporte do doente crítico. Revista Nursing, 246. Recuperado de http://www.forumenfermagem.org/dossier-tecnico/revistas/nursing/item/3526-tomada-de-decisao-do-enfermeiro-no-transporte-do--doente-critico#.WNrGmRLytsM.
PORDATA - Base de Dados Portugal Contemporâneo. (2015). Recuperado de http://www.pordata.pt/.
Rua, F. (1999). Oxigenação durante o transporte do doente ventilado. Revista Portuguesa de Medicina Intensiva, 1.
Sethi, D., & Subramanian, S. (2014). When place and time matter: How to conduct safe inter-hospital transfer of patients. Saudi Journal of Anaesthesia, 8(1),104-13. doi: 10.4103/1658-354X.125964.
Ordem dos Médicos (Comissão da Competência em Emergência Médica) e Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos. (2008) Transporte de doentes críticos. Recuperado de http://www.spci.pt/Docs/GuiaTransporte/9764_miolo.pdf.
Wiegersma,J., Joep, D., Absalon, A., Zijlstra, J., Fokkema, J., & Ligtenberg, J. (2011). Quality of interhospital transport of the critically ill : Impact of a Mobile Intensive Care Unit with a specialized retrieval team. Crit Care, 15(1), 75-82. doi: 10.1186/cc10064
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_dez2017_133to144_eng.pdf.pdf
REF_dez2017_133to144_port.pdf.pdf


[ Detalhes da edição ]