Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Avaliação familiar e processo de enfermagem: programa de desenvolvimento de competências
Autores:  Carolina Miguel Graça Henriques*; Eva João de Jesus Santos**
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2019-10-21
Aceite para publicação:  2019-12-09
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2019
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV19077

Resumo
Enquadramento: Na abordagem família é fundamental o enfermeiro deter ferramentas. O Modelo de Calgary de Avaliação Familiar (MCAF), é um instrumento importante na prática de enfermagem familiar.
Objetivos: Conhecer a importância atribuída à família pelos enfermeiros que integram uma unidade de saúde familiar (USF) da Região Centro de Portugal; Identificar os conhecimentos dos enfermeiros sobre avaliação familiar pela aplicação do MCAF; Avaliar o impacto da aplicação de um programa intervenção envolvendo conhecimentos e competências sobre avaliação familiar pelo MCAF nos profissionais de enfermagem.
Metodologia: Estudo longitudinal com 8 enfermeiros, do tipo quase experimental, realizado em dois momentos de recolha de dados, desenho do tipo pré e pós teste, sem grupo de controlo. A amostra, selecionou-se pelo método não probabilístico/acidental/conveniência.
Resultados: Os enfermeiros têm atitudes de suporte à família. Existem diferenças estatísticas significativas, de conhecimentos e competências, na avaliação familiar pelo MCAF, antes e após intervenção.
Conclusão: A implementação de programas interventivos na avaliação familiar pelo MCAF, permite transferência de conhecimentos e desenvolvimento de competências.


Palavras-chave
enfermagem familiar; capacitação; enfermeiros; família
Barbieri-Figueiredo, M. C., Santos, M. R., Andrade, L., Vilar, A. I., Martinho, M. J., & Fernandes, I. (2012). Atitudes, conceções e praticas dos enfermeiros na prestação de cuidados às famílias em cuidados de saúde primários. In J. C. Carvalho, M. C. Barbieri-Figueiredo, H. I. Fernandes, A. I. Vilar, L. Andrade, M. R. Santos . . . P. Oliveira (Coords.), Transferibilidade do conhecimento em enfermagem de família (pp. 36–43). Porto, Portugal: Escola Superior de Enfermagem do Porto.
Benner, P. (2001). De iniciado a perito. Coimbra, Portugal: Quarteto. Conselho Internacional de Enfermeiros. (2015). CIPE®: Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem. Lisboa, Portugal: Ordem dos Enfermeiros.
Dias, M. O. (2011). Um olhar sobre a família na perspetiva sistémica - o processo de comunicação no sistema familiar. Gestão e Desenvolvimento, 19, 139-156. doi: 10.7559/gestaoedesenvolvimento.2011.140
Fernandes, C. S. (2014). A família como foco dos cuidados de enfermagem - aprendendo com o “family nursing game” (Tese de doutoramento). Recuperado de https://sigarra.up.pt/icbas/pt/pub_geral.pub_view?pi_pub_base_id=33839
Fernandes, C. S. (2015). A família como foco dos cuidados enfermagem: Aprendendo com o Family Nursing Game. Loures, Portugal: Lusodidata.
Hanson, S. M. (2005). Enfermagem de cuidados de saúde à família: Teoria, prática e investigação (2a ed.). Loures, Portugal: Lusociência.
Kaakinen, J. R., Coehlo, D. P., Hanson, S. M., & Gedaly-Duff, V. (2010). Family health care nursing: Theory, practice and research (4th ed.). Philadelphia, PA: F.A. Davies Company.
Martins, M. M., Fernandes, C. S., & Gonçalves, L. H. (2012). A família como foco dos cuidados de enfermagem em meio hospitalar: Um programa educativo. Revista Brasileira de Enfermagem, 65(4), 685–690. doi: 10.1590/s0034-71672012000400020
Oliveira, P. C., Fernandes, H. V., Vilar, A. I., Figueiredo, M. H., Ferreira, M. M., Martinho, M. J., . . . Martins, M. M. (2011). Atitudes dos enfermeiros face à família: Validação da escala Families’ Importance in Nursing Care - Nurses Attitudes. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(6), 1331–1337. doi: 10.1590/S0080-62342011000600008
Ratti, A., Pereira, M., & Centa, M. (2005). A relevância da cultura no cuidado às famílias. Família, Saúde e Desenvolvimento, 7(1), 60-68. doi: 10.5380/fsd.v7i1.8054
Santos, M. (2012). Abordagem sistémica do cuidado à família: impacto no desempenho profissonal do enfermeiro (Tese de doutoramento). Recuperado de http://hdl.handle.net/10451/6979
Saveman, B.-I., Benzein, E. G., Engström, Å. H., & Årestedt, K. (2011). Refinement and psychometric reevaluation of the instrument: Families’ Importance in Nursing Care – Nurses’ Attitudes. Journal of Family Nursing, 17(3), 312–329. doi: 10.1177/1074840711415074
Tomm, K., & Sanders, G. (1983). Family assessment in a problem oriented record: Diagnosis and assessment in family therapy. London, England: Aspen System Corporation.
Vilelas, J. (2017). Investigação: O processo de construção do conhecimento (2ª ed.). Lisboa, Portugal: Sílabo.
Wright, L. M., & Leahey, M. (2011). Enfermeiras e famílias: Guia para avaliação e intervenção na família (5ª ed.). São Paulo, Brasil: Roca.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_dec2019_31to40_port.pdf
REF_dec2019_31to40_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]