Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Sofrimento nos enfermeiros em cuidados de saúde primários
Autores:  Luísa Maria Pires; Maria João Monteiro; José Jacinto Vasconcelos-Raposo

Orientadores: 
Recebido para publicação:  2019-12-04
Aceite para publicação:  2020-03-11
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH PAPER (ORIGINAL)
Ano:  2020
DOI:  10.12707/RIV19096
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Enquadramento: O sofrimento nos enfermeiros advém da prestação de cuidados ao doente em sofrimento e de fatores relacionados com as condições de trabalho. É uma experiência multidimensional que ocorre em situações de perda, dano ou ameaça à integridade da pessoa.
Objetivo: Comparar as médias das dimensões do sofrimento (Dor Emocional, Perda Relacional e Evitamento) em função das variáveis sociodemográficas e profissionais dos enfermeiros.
Metodologia: Estudo descritivo e transversal de natureza quantitativa. Amostra constituída por 100
enfermeiros. Foi aplicado um questionário de autopreenchimento e para avaliação do sofrimento a Caregiver Grief Scale.
Resultados: O sexo feminino com filhos, com companheiro, sem especialização em enfermagem e com mais tempo de serviço apresentou médias mais elevadas de sofrimento. No sexo masculino, as médias mais elevadas verificaram-se nos enfermeiros sem filhos, sem companheiro, com especialização em enfermagem e com mais tempo de serviço.
Conclusão: Os enfermeiros apresentaram médias mais elevadas de sofrimento na dimensão Dor Emocional, seguida da Perda Relacional e do Evitamento, sendo maior a expressão do sofrimento no sexo feminino

Palavras-chave
sofrimento psíquico; enfermeiros; cuidados de saúde primários
Adwan, J. Z. (2014). Pediatric nurses’ grief experience, burnout and job satisfaction. Journal of Pediatric Nursing, 29(4), 329-336. doi:10.1016/j.pedn.2014.01.0
Barlem, E. L., & Ramos, F. R. (2015). Constructing a theoretical model of moral distress. Nursing Ethics, 22(5), 608-6015. doi:10.1177/0969733014551595
Caçador, B. S., Ramos, F. R. & Brito, M. J. (2017). Processo de angústia/sofrimento moral em enfermeiros da estratégia saúde da família. Enfermagem em Foco, 7(3-4), 22-26. doi:10.21675/2357-707X.2016.v7.n3/4.910
Coelho, A., Brito, M., & Barbosa, A. (2017). Caregiver anticipatory grief: Phenomenology, assessment and clinical interventions. Current Opinion in Supportive and Palliative Care, 12(1), 52-57. doi:10.1097/SPC.0000000000000321
Coelho, M. E., & Ferreira, A. C. (2015). Cuidados paliativos: Narrativas do sofrimento na escuta do outro. Revista Bioética, 2, 340. doi:10.1590/1983-80422015232073
Feneli, R., Gonçalves, T., & Azevedo dos Santos, S. (2006). A dor e o sofrimento - uma conexão entre o pensar filosófico e espiritual. Enfermeria Global, 9, 1-12. Recuperado de https://digitum.um.es/digitum/bitstream/10201/24149/3/A%20dor%20e%20o%20sofrimento%20-%20uma%20conex%C3%A3o%20entre%20o%20pensar%20filos%C3%B3fico%20e%20o%20espiritual.pdf
Krikorian, A., Limonero, J. T., Román, J. P., Vargas, J. J., & Palacio, C. (2014). Predictors of suffering in advanced cancer. The American Journal of Hospice & Palliative Care, 31(5), 534-542. doi:10.1177/1049909113494092
Lusignani, M., Gianni, M. L., Re, L. G., & Buffon, M. L. (2016). Moral distress among nurses in medical, surgical and intensive-care units. Journal of Nursing Management, 25(6), 477-485. doi:10.1111/jonm.12431
McCarthy, J., & Gastmans, C. (2015). Moral distress: a review of the argument-based nursing ethics literature. Nursing Ethics, 22(1), 131–152. doi:10.1177/096973301455713
Meichsner, F., Schinköthe, D., & Wilz, G. (2016). The caregiver grief scale: Development, exploratory and confirmatory factor analysis, and validation. Clinical Gerontologist, 39(4), 342-361. doi:10.1080/07317115.2015.1121947
Ramos, F. R., Barth, P. O., Schneider, A. M., Cabral, A. S., Reinaldo, J. S. (2016). Consequências do sofrimento moral emenfermeiros: Revisão integrativa. Cogitare Enfermagem, 21(2), 01-13. Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/ 305313252_CONSEQUENCIAS_DO_SOFRIMENTO_MORAL_EM_ENFERMEIROS_REVISAO_INTEGRATIVA
Regulamento nº 128/2011, de 18 de fevereiro. Diário da República, 35/2011-IISérie. Ministério da Saúde. Lisboa, Portugal.
Rodrigues, J. O., & Silva, E. A. (2016). O prazer e o sofrimento dos homens no trabalho em serviços de saúde. Revista de Enfermagem UFPE on line, 10(7), 2544-2554. doi:10.5205/reuol.9106-80230-1-SM1007201631
Schaefer, R. (2017). Sofrimento moral: avaliação de risco em enfermeiros (Tese de doutoramento). Universidade Católica Portuguesa, Lisboa. Recuperado de https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/24202/1/PhD_Rafaela%20Schaefer.pdf
Schaefer, R., & Vieira, M. (2015). Competência ética como recurso de enfrentamento do sofrimento moral em enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem, 24(2), 563-573. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/tce/v24n2/pt_0104-0707-tce-24-02-00563.pdf
Trautmann, J., Epstein, E., Rovnyak, V., & Snyder, A. (2015). Relationships among moral distress, level of practice independence, and intent to leave of nurse practitioners in emergency departments: Results from a national survey. Advanced Emergency Nursing Journal, 37(2), 134-145. doi:10.1097/TME.0000000000000060
Vasconcelos-Raposo, J., Pires, L. M., Teixeira, C. M., & Monteiro, M. J. (no prelo). Validação da Caregiver Grief Scale para enfermeiros. Avaliação Psicológica, 2020.
Viana, A. (2014). Sofrimento experienciado pelo enfermeiro quando cuida o doente em fim de vida com dor não controlada (Dissertação de mestrado). Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Recuperado de http://repositorio.ipvc.pt/bitstream/20.500.11960/1237/1/Aurora_Viana.pdf
Woods, M., Rodgers, V., Towers, A., & Grow, S. L. (2015). Researching moral distress among New Zealand nurses: A national survey. Nursing Ethics, 22(1), 117-130. doi:10.1177/0969733014542679
Xiaoyan, W., Yufang, Z., Lifeng, C., & Congcong, S. (2016). Moral disess and its influencing factors: A crossectional study in China. Nursing Ethics, 25(4), 470-480. doi:10.1177/0969733016658792
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_mar2020_e19096_port.pdf
REF_mar2020_e19096_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]