Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Avaliação das propriedades psicométricas do Questionário de Autorregulação para o tratamento medicamentoso na doença crónica
Autores:  Lígia Lima; Celeste Bastos; Célia Santos; Cristina Barroso; Ana Luísa Rocha; Virgínia Regufe; Teresa Martins
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2019-03-03
Aceite para publicação:  2020-01-10
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH ARTICLE (ORIGINAL)
Ano:  2020
DOI:  10.12707/RIV19069
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Enquadramento: A promoção da gestão do regime terapêutico em pessoas com doença crónica, requer medidas fiáveis e válidas, para avaliação da motivação para o tratamento.
Objetivo: Avaliar as propriedades psicométricas da versão portuguesa do Questionário de Autorregulação (QAR) para o tratamento medicamentoso, numa amostra de pessoas com doença crónica.
Metodologia: Estudo metodológico, com recurso à análise fatorial confirmatória (AFC). Participaram 189 pessoas com doença crónica.
Resultados: A solução trifatorial do QAR não mostrou bom ajustamento ao modelo, pelo que é proposta uma solução de quatro fatores. A AFC mostrou um ajuste muito satisfatório nos índices de adequação do modelo. A validade convergente foi confirmada por associações entre a motivação autónoma, competência percebida e perceção de um ambiente terapêutico promotor da autonomia, e com a adesão aos medicamentos. A análise de confiabilidade mostrou valores de consistência interna que variam entre 0,56 e 0,90.
Conclusão: O instrumento demonstra ser uma medida fiável e válida para a avaliação da autorregulação ao tratamento medicamentoso em pessoas com doença crónica.


Palavras-chave
estudos de validação; análise fatorial; doença crónica; autorregulação
Almeida, M. C., & Pais Ribeiro, J. L. (2013). Autodeterminação e alimentação saudável na população portuguesa. Nursing, 288, 104-119.
Chase, J. A., Bogener, J. L., Ruppar, T. M., & Conn, V. S. (2016). The effectiveness of medication adherence interventions among patients with coronary artery disease: A meta-analysis. The Journal of Cardiovascular Nursing, 31(4), 357-366. doi: 10.1097/JCN.0000000000000259.
Deci, E. L., & Ryan, R. M. (2008). Facilitating optimal motivation and psychological well-being across life’s domains. Canadian Psychology, 49, 14-23. doi:10.1037/0708-5591.49.1.14
Deci, E. L., & Ryan, R. M. (2012). Self-determination theory in health care and its relations to motivational interviewing: A few comments. The International Journal of Behavioral Nutrition And Physical Activity, 9, 24. doi:10.1186/1479-5868-9-24
Denman, D. C., Baldwin, A. S., Marks, E. G., Lee, S. C., & Tiro, J. A. (2016). Modification and validation of the Treatment Self-Regulation Questionnaire to assess parental motivation for HPV vaccination of adolescents. Vaccine, 34(41), 4985-4990. doi:10.1016/j.vaccine.2016.08.037
Giugliano, D., Maiorino, M. I., Bellastella, G., & Esposito, K. (2019). Clinical inertia, reverse clinical inertia, and medication non-adherence in type 2 diabetes. Journal of Endocrinological Investigation, 42(5), 495–503. doi:10.1007/s40618-018-0951-8
Kàlcza-Jánosi, K., Williams, G. C., & Szamosjözi, I. (2017). Intercultural differences of motivation in patients with diabetes. A comparative study of motivation in patients with diabetes from Transylvania and USA. Transylvanian Journal of Psychology, 18(1), 3–19. doi:10.24193/epsz.2017.1.1
Kline, R. B. (2010). Principles and practice of structural equation modelling (3rd ed). New York, NY: Guilford.
Lemos, M. S., & Garrett, S. (2013). HCCQ: H-D Questionário de Perceção do Ambiente Terapêutico: Saúde - Diabetes. In M. S. Lemos, A. M. Gamelas, & J. A. Lima (Eds.), Instrumentos de investigação desenvolvidos, adaptados ou usados pelo grupo de investigação desenvolvimental, educacional e clínica com crianças e adolescentes (pp.163-164). Porto: Universidade do Porto, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação.
Levesque, C. S., Williams, G. C., Elliot, D., Pickering, M. A., Bodenhamer, B., & Finley, P. J. (2007). Validating the theoretical structure of the Treatment Self-Regulation Questionnaire (TSRQ) across three different health behaviors. Health Education Research, 22(5), 691-702. doi:10.1093/her/cyl148
Maroco, J. (2014). Análise de equações estruturais: Fundamentos teóricos, software & aplicações. Pêro Pinheiro, Portugal: ReportNumber.
Marques, M., De Gucht, V., Maes, S., Gouveia, M. J., & Leal, I. (2012). Psychometric properties of the Portuguese version of the Treatment Self-Regulation Questionnaire for Physical Activity (TSRQ - PA). Psychology, Community & Health, 1(2), 212-220. doi:10.5964/pch.v1i2.32
McWilliams, J. M., Najafzadeh, M., Shrank, W.H., & Polinski, J. M. (2017). Association of changes in medication use and adherence with accountable care organization exposure in patients with cardiovascular disease or diabetes. JAMA Cardiology, 2(9), 1019-1023. doi:10.1001/jamacardio.2017.2172 Ministério da Saúde. (2018). Retrato da Saúde 2018. Lisboa, Portugal: Autor.
Pereira, M. G., & Silva, N. S. (1999). Escala de adesão aos medicamentos: Avaliação psicológica. Formas e Contextos, 6, 347-351.
Phillips, A. S., & Guarnaccia, C. A. (2017). Self-determination theory and motivational interviewing interventions for type 2 diabetes prevention and treatment: A systematic review. Journal of Health Psychology, 25(1), 44-46. doi:10.1177/1359105317737606
Rocha, V., Guerra, M., Lemos, M., Maciel, J., & Williams, G. (2017). Motivation to quit smoking after acute coronary syndrome. Acta Medica Portuguesa, 30(1), 34-40. doi:10.20344/amp.7926
Ryan, R. M., & Deci, E. L. (2000). Self-determination theory and the facilitation of intrinsic motivation, social development, and well-being. American Psychologist, 55(1), 68-78. doi:10.1037110003-066X.55.1.68
Ryan, R. M., Patrick, H., Deci, E. L., & Williams, G. C. (2008). Facilitating health behavior change and its maintenance: Interventions based on Self-Determination Theory. The European Health Psychologist, 10(1), 2-5. Recuperado de: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.460.1417&rep=rep1&type=pdf
Życińska, J., Januszek, M., Jurczyk, M., & Syska-Sumińska, J. (2012). How to measure motivation to change risk behaviours in the self-determination perspective? The Polish adaptation of the Treatment Self-Regulation Questionnaire (TSRQ) among patients with chronic diseases. Polish Psychological Bulletin, 43(4), 261-271. doi: 10.2478/v10059-012-0029-y
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_apr2020_e19069_eng.pdf
REF_apr2020_e19069_port.pdf


[ Detalhes da edição ]