Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Validação de conteúdo de um instrumento de avaliação do impacto do transtorno neurocognitivo na família
Autores:  Mafalda Sofia Gomes Oliveira da Silva; Luís Octávio de Sá
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2019-10-15
Aceite para publicação:  2020-04-20
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH ARTICLE (ORIGINAL)
Ano:  2020
DOI:  10.12707/RIV19074
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Enquadramento: O diagnóstico de uma doença crónica e incapacitante implica mudanças profundas na dinâmica familiar, com exigências acrescidas para a prestação dos cuidados de enfermagem à família.
Objetivo: Validar o conteúdo da escala de avaliação do impacto do transtorno neurocognitivo na família através de painel Delphi.
Metodologia: Foi utilizada a metodologia Delphi, recorrendo-se a um painel de 42 peritos para reunir consensos acerca da pertinência e do conteúdo de um conjunto de itens. A recolha e análise de dados da 1ª ronda decorreu em abril e a 2ª ronda em junho de 2018.
Resultados: Dos 86 itens submetidos ao consenso, foram sugeridas adaptações em 10 itens para que ficassem mais claros e de fácil compreensão. A versão final ficou constituída por 68 itens.
Conclusão: Os resultados do estudo permitiram encontrar, entre peritos, um consenso que nos permite validar o conteúdo de uma proposta de instrumento de avaliação do impacto do transtorno neurocognitivo na família.

Palavras-chave
revisão por pares; demência; relações familiares; cuidados de enfermagem; estudo Delphi
Araújo, I. M. (2015). Escala de avaliação de papéis familiares: Avaliação das propriedades psicométricas. Revista de Enfermagem Referência, 4(4), 51-59. doi: 10.12707/RIV14029
Bertazone, T. M., Ducatti, M., Camargo, H. P, Batista, J. M., Kusumota, L., & Marques, S. (2016). Ações multidisciplinares/interdisciplinares no cuidado ao idoso com Doença de Alzheimer. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 17(1), 144-153. doi:10.15253/2175-6783.2016000100019
Carvalho, A., Araújo, L. J., & Veríssimo, M. T. (2019). Quando os cuidados continuados chegam ao fim: Perspetivas de cuidadores informais sobre o momento da alta. Revista de Enfermagem Referência, 4(22), 107-116. doi:10.12707/RIV19023
Fernandes, C., Margareth, A., & Martins, M. M. (2018). Family caregivers of dependent elderly: Same needs, different contexts: A focus group analysis. Geriatrics, Gerontology and Aging, 12(1), 31-37. doi:10.5327/Z2447-211520181800008
Gervès, C., Chauvin, P., & Bellanger, M. (2014). Evaluation of full costs of care for patients with Alzheimer´s disease in France: The predominant role of informal care. Health Policy, 116(1), 114-122. doi:10.1016/j.healthpol.2014.01.001
Instituto Nacional de Estatística. (2017). Instituto Nacional de Estatística. Recuperado de https://www.ine.pt
Ilha, S., Backes, D. S., Backes, M. T., Pelzer, M. T., Lunardi, V. L., & Costerano, R. G. (2015). (Re)organização das famílias de idosos com Alzheimer: Perceção de docentes à luz da complexidade. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 19(2), 331-337. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452015000200331
Justo, C. (2005). A técnica de delphi de formação de consensos. Recuperado de http://www.opss.pt/sites/opss.pt/files/A-Tecnica-Delphi-de-Formacao-de-Consensos.pdf
Mockford, C. (2015). Review of family careers experiences of hospital discharge for people with dementia, and the rationale for involving service users in health research. Journal of Health Leadership, 7, 21–28. doi:10.2147/JHL.S70020
Moreno-Cámara, S., Palomino-Moral, P., Moral-Fernández, L., Frías- Osuna, A. & Del-Pino-Casado, R. (2016). Problemas en el proceso de adaptación a los cambios em personas cuidadoras familiares de mayores con demencia. Gaceta Sanitaria, 30(3),201-207.
Peña-Longobardo, L. M., & Oliva-Moreno, J. (2015). Economic valuation and determinants of informal care to people with Alzheimer´s disease. European Jounal Health Economics, 16(5), 507-515. doi:10.1007/s10198-014-0604-6
Pires, C. (2016). Avaliação económica dos cuidados informais à população idosa da região norte de Portugal (Dissertação de mestrado). Universidade do Porto, Portugal.
Roldão, L. (2014). Espiritualidade e bem-estar subjetivo em familiares cuidadores de idosos com dependência física (Dissertação de mestrado). Universidade Católica Portuguesa, Lisboa, Portugal.
Santana, I., Farinha, F., Freitas, S., Rodrigues, V., & Carvalho, A. (2015). Epidemiologia da demência em Portugal. Acta Médica Portuguesa, 28(2), 182-188.
Scarparo, A., Laus, A., Azevedo, A., Freitas, M., Gabriel, C., & Chaves, L. (2012). Reflections on the use of Delphi Modificado technique in research in nursing. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 13(1), 242-251.
Schuz, B., Czerniawski, A., Davie, N., Miller, L., Quinn, M. G., King, C., … Scott, J. L. (2015). Leisure time activities and mental health in informal dementia caregivers. Applied Psychology Health Well-Being, 7(2), 230-48. doi:10.1111/aphw.12046.
Sequeira, C. (2018). Cuidar de idosos com dependência física e mental. Lisboa, Portugal: Lidel.
Silva, M., Sá, L., & Marques, G. (2019). O impacto do transtorno neurocognitivo na família: Scoping review. Revista Paulista de Enfermagem, 30(4), 1-14. doi:10.33159/25959484.
Tobias, G. (2017). O Serviço Social no apoio às famílias de utentes integrados na RNCCI: Configurando os sentimentos, vivências e expetativas dos familiares na perspetiva dos Assistentes Sociais (Dissertação de mestrado). Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Bragança, Portugal.
Walsh, F. (2012). Facilitating family resilience: Relational resources for positive youth development in conditions of adversity. In M. Ungar (Ed.), The social ecology of resilience: A handbook of theory and practice (pp.173-185). New York, NY: Springer Science.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_mai2020_e19074_eng.pdf
REF_mai2020_e19074_port.pdf


[ Detalhes da edição ]