Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Estudo psicométrico: Questionário de Conhecimentos das Intervenções Autónomas de Enfermagem no Doente com Síndrome Coronário Agudo
Autores:  João Carlos Bastos Pina ; Maria Augusta Romão da Veiga Branco ; Maria Madalena Jesus Cunha Nunes ; João Carvalho Duarte ; Cláudia Ribeiro da Silva
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2020-05-19
Aceite para publicação:  2020-10-01
Secção:  ARTIGO DE INVESTIGAÇÃO (ORIGINAL)/RESEARCH ARTICLE (ORIGINAL)
Ano:  2020
DOI:  10.12707/RV20070
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Enquadramento: O reconhecimento da autonomia dos enfermeiros só poderá ser conseguido se esta for corretamente mensurada e validada. Neste sentido, torna-se imperioso avaliar os seus conhecimentos, reconhecendo o seu papel decisivo.
Objetivo: Validar e avaliar as propriedades psicométricas do Questionário de Conhecimentos acerca das Intervenções Autónomas de Enfermagem face ao Doente com Síndrome Coronário Agudo.
Metodologia: Estudo metodológico, descritivo analítico-correlacional e transversal. Avaliou-se a consistência interna através do alfa de Cronbach e a análise fatorial confirmatória numa amostra de 738 enfermeiros portugueses inscritos na Ordem dos Enfermeiros.
Resultados: A média de idades foi de 37,57 anos, sendo 76,0% mulheres. Após o refinamento do questionário, a análise fatorial confirmatória evidenciou uma qualidade de ajustamento aceitável da estrutura fatorial composta por 9 fatores com 44 itens (x2/gl = 2,042; CFI = 0,846; GFI = 0,826; RMSEA = 0,053; RMR = 0,069). A consistência interna global foi de  = 0,930, mostrando uma fiabilidade elevada, explicando 56,739% de variância total.
Conclusão: O questionário é fiável e válido revelando potencial para investigação, monitorização e avaliação dos conhecimentos dos enfermeiros em contexto formativo e prática clínica.


Palavras-chave
autonomia profissional; cuidados de enfermagem; métodos; estudo de validação; síndrome coronário agudo
Alves, T. M. (2015). A pessoa em situação crítica em contexto de urgência: Dos cuidados de enfermagem prestados aos cuidados de enfermagem documentados (Dissertação de mestrado). Recuperado de http:// hdl.handle.net/20.500.11960/1342
Facione, P. A., Crossetti, M. G., & Riegel, F. (2017). Pensamento crítico holístico no processo diagnóstico de enfermagem. Revista Gaúcha de Enfermagem, 38(3), e75576. doi: 10.1590/1983-1447.2017.03.75576
Fornell, C., & Larcker, D. F. (1981). Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of Marketing Research, 18(1), 39-50. doi: 10.2307/3151312
Ibanez, B., James, S., Agewall, S., Antunes, M. J., Bucciarelli-Ducci, C., Bueno, H., . . . ESC Scientific Document Group. (2018). ESC Guidelines for the management of acute myocardial infarction in patients presenting with ST-segment elevation: The Task Force for the management of acute myocardial infarction in patients presenting with ST-segment elevation of the European Society of Cardiology (ESC). European Heart Journal, 39(2), 119-177. doi: 10.1093/eurheartj/ehx393
Instituto Nacional de Emergência Médica, & Departamento de Formação em Emergência Médica. (2019). Manual de suporte avançado de vida. Lisboa, Portugal: Autor.
Macedo, A., & Rosa, F. (2010). O síndrome coronário agudo nos cuidados de saúde primários. Acta Médica Portuguesa, 23(2), 213-222.
Marôco, J. (2014). Análise estatística com o SPSS Statistics (6.ª ed.). Pêro Pinheiro, Portugal: ReportNumber.
Nikolaou, N. I., Arntz, H.-R., Bellou, A., Beygui, F., Bossaert, L. L., & Cariou, A. (2015). European Resuscitation Council Guidelines for Resuscitation 2015: Section 8: Initial management of acute coronary syndromes. Journal of the European Resuscitation Council, 95, 264-277. doi: 10.1016/j.resuscitation.2015.07.030 Ordem dos Enfermeiros. (2015). Estatuto da Ordem dos Enfermeiros e REPE. Lisboa, Portugal: Autor.
Ordem dos Enfermeiros. (2017). Padrões de qualidade dos cuidados de enfermagem especializados em enfermagem médico-cirúrgica. Lisboa, Portugal: Autor.
Ordem dos Enfermeiros, & Conselho Internacional de Enfermeiros. (2008). Linhas de orientação para a elaboração de catálogos CIPE®: «Guidelines for ICNP® Catalogue Development». Recuperado de https://www.ordemenfermeiros.pt/arquivo/publicacoes/Documents/linhas_cipe.pdf
Ouchi, J. D., Teixeira, C., Góes Ribeiro, C. A., & Oliveira, C. C. (2017). Tempo de chegada do paciente infartado na unidade de terapia intensiva: A importância do rápido atendimento. Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, 21(2), 92-97. doi: 10.17921/1415-6938.2017v21n2p92-97
Patel, A., Mohanan, P., Prabhakaran, D., & Huffman, M. D. (2017). Pre-hospital acute coronary syndrome care in Kerala, India: A qualitative analysis. Indian Heart Journal, 69(1), 93-100. doi: 10.1016/j.ihj.2016.07.011
Pestana, M. H., & Gageiro, J. N. (2014). Análise de dados para ciências sociais: A complementaridade do SPSS (6.ª ed.). Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
PORDATA. (2017). Óbitos por algumas causas de morte (%). Recuperado de https://www.pordata.pt/Portugal/%C3%93bitos+por+algumas+causas+de+morte+(percentagem) -758
Regulamento nº 429/2018 de 16 de julho. (2018). Diário da República nº135/2018, II Série. Ordem dos Enfermeiros. Lisboa, Portugal.
World Health Organization. (2018). World health statistics 2018: Monitoring health for the sustainable development goals: Noncommunicable diseases and mental health. Luxembourg, Luxembourg: Author.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_dec2020_e20070_port.pdf
REF_dec2020_e20070_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]