Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Efeitos da mobilização precoce na reabilitação funcional em doentes críticos: uma revisão sistemática
Autores:  Paulo Manuel Dias da Silva Azevedo; Bárbara Pereira Gomes
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2014-05-08
Aceite para publicação:  2015-01-13
Secção:  Artigo
Ano:  2015
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV14035
Facebook Twitter LinkedIn

Resumo
Contexto: A mobilização precoce vem sendo considerada uma intervenção capaz de modificar factores de risco de morbilidade, com impacto na reabilitação funcional em doentes críticos.
Objetivo: Determinar os efeitos da mobilização precoce na reabilitação funcional de doentes internados em cuidados intensivos.
Método de revisão: Utilizando a estratégia PICO, realizou-se uma revisão sistemática da literatura entre 2003 e 2013, considerando-se artigos científicos em texto integral de estudos realizados com adultos internados em cuidados intensivos e submetidos à mobilização precoce. Pesquisaram-se as bases de dados PubMed, CINAHL, Cochrane Controlled Trial Database, Elsevier, LILACS, British Nursing Index e SciELO, revistas científicas de referência e as citações dos artigos selecionados. Na análise final dos estudos utilizaram-se ferramentas para avaliação da qualidade metodológica.
Interpretação dos resultados: Dos seis trabalhos identificados resulta que a mobilização precoce pode facilitar a reabilitação funcional destes doentes, promovendo ganhos de força muscular e maior participação nas atividades de vida diária.
Conclusão: São necessários estudos que usem as mesmas ferramentas de avaliação e que demonstrem o interesse da intervenção para a disciplina de Enfermagem.

Palavras-chave
reabilitação; cuidados intensivos; mobilização precoce.
Ågård, A., Egerod, I., Tønnesen, E., & Lomborg, K. (2012). Struggling for independence: A grounded theory study on convalescence of ICU survivors 12 months post ICU discharge. Intensive and Critical Care Nursing, 28, 105-113.
Australian and New Zealand Intensive Care Society. (2013). Recuperado de: http://www.anzics.com.au/downloads/doc_download/918-anzics-core-annual-report-2011-2012
Burtin, C., Clercky, B., Robbeets, C., Ferdinande, P., Langer, D., Troosters, T., … Gosselink, R. (2009). Early exercise in critically ill patients enhances short-term functional recovery. Critical Care Medicine, 37(9), 1-7.
Dantas, C., Silva, P., Siqueira, F., Pinto, R., Matias, S., Maciel, C., … França, E. (2012). Influência da mobilização precoce na força muscular periférica e respiratória em pacientes críticos. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 24(2), 173-178.
Denehy, L., Skinner, E., Edbrooke, L., Haines, K., Warrillow, S., Hawthorne, G., … Berney, S. (2013). Exercise rehabilitation for patients with critical illness: A randomized controlled trial with 12 months follow up. Critical Care, 17, R156. Recuperado de: http://ccforum.com/content/17/4/R156
Desai, S., Law, T., & Needham, D. (2011). Long-term complications of critical care. Critical Care Medicine, 39(2), 371-379.
Gomes, J., Martins, M., Gonçalves, M., & Fernandes, C. (2012). Enfermagem de reabilitação: Percurso para a avaliação da qualidade em unidades de internamento. Revista de Enfermagem Referência, 8, 29-38.
Grap, M., & McFetridge, B. (2012). Critical care rehabilitation and early mobilisation: An emerging standard of care. Intensive and Critical Care Nursing, 28, 55-57.
Griffiths, R., & Hall, J. (2010). Intensive care unit-acquired weakness. Critical Care Medicine, 38(3), 779-787.
Intensive Care National Audit & Research Centre. (2013). Recuperado de: https://www.icnarc.org/documents/Summary%20statistics%20-%202011-12.pdf
Instituto de Gestão Informática e Financeira da Saúde. (2005). Recuperado de: http://www.acss.min-saude.pt/Portals/0/DownloadsPublicacoes/SNS/Info_Activid/SNSa%C3%BAde.pdf
Morris, P., Goad, A., Thompson, C., Taylor, K., Harry, B., Passmore, L., … Haponik, E. (2008). Early intensive care unit mobility therapy in the treatment of acute respiratory failure. Critical Care Medicine, 36(8), 1-8.
Morris, P., Griffin, L., Berry, M., Thompson, C., Hite, D., Winkelman, C., … Haponik, E. (2011). Receiving early mobility during an ICU admission is predictor of improved outcomes in acute respiratory failure. The American Journal of the Medical Sciences, 341(5), 373-377.
Public Health Resource Unit. (2006). Recuperado de: http://www.csh.org.tw/into/medline/WORD/CASP%E8%A9%95%E8%AE%80%E8%A1%A8/CAT2-RCT-%E8%A9%95%E8%AE%80%E8%A1%A8.pdf
Schweickert, W., & Hall, J. (2007). ICU-Acquired Weakness. CHEST, 131(5), 1541-1549.
Schweickert, W., Pohlman, M., Pohlman, A., Nigos, C., Pawlik, A., Esbrook, C., … Kress, J. (2009). Early physical and occupational therapy in mechanically ventilated, critically ill patients: A randomized controlled trial. Lancet, 373(30), 1874-1882.
Suzumura, E., Oliveira, J., Buehler, A., Carballo, M., & Berwanger. O. (2008). Como avaliar criticamente estudos de coorte em terapia intensiva?. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 20(1), 93-98.
Regulamento nº 124, de 18 de Fevereiro. Diário da República nº 35/11 - II Série. Ordem dos Enfermeiros. Lisboa, Portugal.
Thomsen, G., Snow, G., Rodriguez, L., & Hopkins, R. (2008). Patients with respiratory failure increase ambulation after transfer to an intensive care unit where early activity is a priority. Critical Care Medicine, 36(4), 1119-1124.
Unroe, M., Kahn, J., Carson, S., Govert, J., Martinu, T., Sathy, S., … Cox, C. (2010). One-year trajectories of care and resource utilization for recipients of prolonged mechanical ventilation. Annals of Internal Medicine, 153, 167-175.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
14 Rev. Enf. Ref. RIV14035ARS portuguese.pdf
14 Rev. Enf. Ref. RIV14035ARS english.pdf


[ Detalhes da edição ]