Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Autocuidado dos adolescentes com diabetes mellitus tipo 1: responsabilidade no controlo da doença
Autores:  Marília Costa Flora*; Manuel Gonçalves Henriques Gameiro**
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2016-02-07
Aceite para publicação:  2016-04-30
Tipo:  Artigo de Investigação
Ano:  2016
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV16010

Resumo
Enquadramento: A diabetes mellitus tipo 1 (DM1) é uma doença cada vez mais prevalente na adolescência. Intervir no autocuidado é determinante para a gestão da doença.
Objetivos: Determinar a responsabilidade dos adolescentes com DM1 nos papéis de autocuidado; analisar a relação da responsabilidade dos adolescentes com DM1 nos papéis de autocuidado com a idade e o género.
Metodologia: Estudo descritivo-analítico e transversal. Participaram 51 adolescentes entre os 12 e os 18 anos seguidos em hospitais distritais da zona centro de Portugal. Foi aplicada uma escala de responsabilidade nos papéis de autocuidado, constituída por 15 itens distribuídos por 4 dimensões: manutenção da saúde; controlo da doença; diagnóstico, tratamento e medicação na DM1; e participação em serviços de saúde.
Resultados: A maioria dos adolescentes assume responsabilidade própria elevada. O género não influencia a responsabilidade global, os rapazes evidenciam maior nível de responsabilidade na gestão de administração de insulina.
Conclusão: Os adolescentes assumem responsabilidade própria no controlo da doença, evidencia-se responsabilidade partilhada com os pais ou outros no global e na participação em serviços de saúde.

Palavras-chave
adolescente; diabetes mellitus tipo 1; autocuidado; enfermagem
Aguiar, S., & Fonte, C. (2007). Narrativas e significados da doença em crianças com diabetes mellitus tipo 1. Revista Psicologia, Saúde e Doenças, 8(1), 67-81.
Bastos, F., Severo, M., & Lopes, C. (2007). Propriedades psicométricas da escala de autocuidado com a diabetes traduzida e adaptada. Acta Med Port., 20, 11-20.
Correia, L., Boavida, J. M., Almeida, J. P., Anselmo, J., Ayala, M.,Cardoso, S.,Costa, A.L…Rsposo,J. (2015). Diabetes: Factos e números 2014: Relatório anual do observatório nacional da diabetes. Recuperado de https://www.dgs.pt/estatisticas-de-saude/estatisticas-de-saude/publicacoes/diabetes-factos-e-numeros-7-edicao.aspxWorld Health Organization (2011). Adolescent health. Geneva, Switzerland: Author.
Chien, S. C., Larson, E., Nakamura, N., & Lin, S. J. (2007). Self-care problems of adolescents with Type 1 Diabetes in Southern Taiwan. Journal Of Pediatric Nursing, 22(5), 404-409.
Dashiff, C. J., McCaleb, A., & Cull, V. (2006). Self-care of young adolescents. Journal of Pediatric Nursing, 21(3), 222-232.
Fialho, F. A., Dias, I. M., Nascimento, L., Motta, P. N., & Pereira, S. G. (2011). Crianças e adolescentes com diabetes mellitus: Implicações para a enfermagem. Revista Baiana de Enfermagem, 25(2), 145-154.
Filho, C. V., Rodrigues, W. H. & Santos, R. B. (2008). Papéis de autocuidado: Subsídios para a enfermagem diante das reações emocionais dos portadores de diabetes mellitus. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 12(1), 125-129.
Garrett, S. P. (2007). Adesão ao tratamento da diabetes em adolescentes: Factores motivacionais (Dissertação de mestrado). Universidade do Porto, Faculdade de Psicologia de Ciências da Educação. Porto, Portugal.
Hanna, K. M., & Decker, C. L. (2010). A concept analysis: Assuming responsibility for self-care among adolescents with type 1 diabetes. Journal of Pediatric Surgical Nursing, 15(2), 99-110.
Helgeson, V. S., Reynolds, K. A., Siminerio, L., Escobar, O., & Becker D. (2008). Parent and adolescent distribution of responsibility for diabetes self-care: Links to health outcomes. Journal of Pediatric Psychology, 33(5), 497-508.
Karlsson, A., Arman, M., & Wikblad, K. (2008). Teenagers with type 1 diabetes: A phenomenological study of the transition towards autonomy in self-management. International Journal of Nursing Studies, 45(4), 562-570.
Miculis, C. P., Mascarenhas, L. P., Boguszewski, M. C. , & Campos, W. (2010). Atividade física na criança com diabetes tipo 1. Jornal de Pediatria, 86(4), 271-278.
Peixoto, M. R. (1996). Divergências e convergências entre um modelo de assistência de enfermagem a pacientes diabéticos e a teoria do déficit de autocuidado de Orem. Revista de Escola de Enfermagem São Paulo, 30(1), 1-13. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v30n1/v30n1a01.pdf
Ramsing, R., & Hill, E. (2007). How camps can help adolescents self-manage diabetes. Camping Magazine, 1-4.
Ribeiro, J. (1998). Psicologia e saúde. Lisboa, Portugal: ISPA.
Rosalind, B. (2006). A criança com disfunção endócrina. In M. J. Hockenberry, D. Wilson, Wong Fundamentos de enfermagem pediátrica (p.1063-1095). Rio de Janeiro, Brasil: Elsevier.
Santos, M. J., Silva, I., & Cardoso, M. H. (2009). Avaliação da qualidade de vida e do controlo glicémico em diabéticos tipo 1 com bomba infusora de insulina. Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, 33-42.
Wysocki, T., Iannotti, R., Weissberg-Benchell, J., Laffel, L., Hood, K., Anderson, B., … (2008). Diabetes Problem Solving by Youths with Type 1 Diabetes and their Caregivers: Measurement, Validation, and Longitudinal Associations with Glycemic Control. Journal of Pediatric Psychology, 33(8), 875–884. http://doi.org/10.1093/jpepsy/jsn024
World Health Organization (2011). Adolescent health. Geneva, Switzerland: Author.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
01 Rev. Enf. Ref. RIV16010 ENG.pdf
01 Rev. Enf. Ref. RIV16010 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]