Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Uma experiência com a Global Trigger Tool no estudo dos eventos adversos num serviço de medicina
Autores:  Ludmila Pierdevara*; Inês Margarida Ventura**; Margarida Eiras***;
Amélia Maria Brito Gracias****; Carina Soares da Silva*****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2015-12-03
Aceite para publicação:  2016-05-02
Secção:  Artigo de Investigação
Ano:  2016
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV15078

Resumo
Enquadramento: A prestação de cuidados de saúde está associada aos eventos adversos (EA) que causam dano nos doentes internados em hospitais.
Objetivos: Estudar os EA num serviço de Medicina.
Metodologia: Realizou-se um estudo quantitativo, descritivo observacional retrospetivo, de 1 de setembro a 31 de dezembro de 2014 num serviço de medicina do Centro Hospitalar do Algarve. Para identificar os EA utilizou-se a Global Trigger Tool (GTT). Listaram-se os doentes que tiveram alta hospitalar no período de 1 de janeiro a 30 de setembro do ano 2014.
Resultados: A concordância entre as revisoras, relativamente à classificação dos EA, através do índice de Kappa, demonstrou ser perfeita. Identificaram-se 278 triggers, dos quais 124 resultaram em EA, 44,6% dos EA ocorreram durante o internamento e 9,4% dos doentes apresentavam EA no momento de admissão. Constataram-se 62,63 EA por 1000 doentes dia, 137,8 EA por 100 admissões e, em 31,1% dos casos, ocorreu um EA durante o internamento.
Conclusão: A metodologia GTT é uma ferramenta útil no estudo dos EA no contexto hospitalar.

Palavras-chave
segurança do paciente; gestão da segurança; dano ao paciente; erros médicos
Asavaroengchai, S., Sriratanaban, J., Hiransuthikul, N., & Supachutikul, A. (2009). Identifying adverse events in hospitalized patients using Global Trigger Tool in Thailand. Asian Biomedicine, 3(5), 545–550. Recuperado de http://www.asianbiomed.org/htdocs/previous/A20093545.pdf
Classen, D. C. (2009). Challenges in implementation of Trigger and TIDS tools for detection of adverse events in health care settings. In Agency for Healthcare Research and Quality (Ed.), Triggers and Targeted Injury Detection Systems (TIDS) expert panel meeting: Conference summary, Rockville, MD, 30 June-1 July 2008 (pp. 29-30). Recuperado de http://archive.ahrq.gov/news/events/other/triggers/triggers.pdf
Classen, D. C., Resar, R., Griffin, F., Federico, F., Frankel, T., Kimmel, N., … James, B. C. (2011). “Global trigger tool” shows that adverse events in hospitals may be ten times greater than previously measured. Health Affairs (Project Hope), 30(4), 581–589. doi: 10.1377/hlthaff.2011.0190
Despacho nº 1400-A/2015 de 10 de fevereiro. Diário da República nº 28/2015, 1º Supl. - 2ª Série. Ministério da Saúde, Gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde. Lisboa, Portugal.
Direcção-Geral da Saúde. (2011). Estrutura concetual da classificação internacional sobre segurança do doente: Relatório técnico final. Recuperado de https://www.dgs.pt/documentos-e-publicacoes/classificacao-internacional-sobre-seguranca-do-doente-png.aspx
Direcção-Geral da Saúde. (2014). Sistema Nacional de Notificação de Incidentes: NOTIFICA (Norma nº 015/2014 de 25/09/2014). Recuperado de https://www.dgs.pt/paginas-de-sistema/saude-de-a-a-z/notificacao-de-incidentes-e-eventos-adversos.aspx
Ganachari, M. S., Wadhwa, T., Walli, S., Khoda, D. A., & Aggarwal, A. (2013). Trigger tools for monitoring and reporting of adverse drug reactions: A scientific tool for efficient reporting. Open Access Scientific Reports, 2(4), 2–6. doi: 10.4172/scientificreports
Hwang, J.-I., Chin, H. J., & Chang, Y.-S. (2014). Characteristics associated with the occurrence of adverse events: A retrospective medical record review using the Global Trigger Tool in a fully digitalized tertiary teaching hospital in Korea. Journal of Evaluation in Clinical Practice, 20(1), 27–35. doi: 10.1111/jep.12075
Improvement, I. for H. (2009). IHI Global Trigger Tool for measuring adverse events. Innovation. Institute for Healthcare Improvement. Retrieved from www.IHI.org
Landis, J. R., & Koch, G. G. (1977). The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics, 33(1), 159–174. doi: 10.2307/2529310
Landrigan, C. P., Parry, G. J., Bones, C. B., Hackbarth, A. D., Goldmann, D. A., & Sharek, P. J. (2010). Temporal trends in rates of patient harm resulting from medical care. The New England Journal of Medicine, 363(22), 2124-2134. doi: 10.1056/NEJMsa1004404
Murff, H. J., Patel, V. L., Hripcsak, G., & Bates, D. W. (2003). Detecting adverse events for patient safety research: A review of current methodologies. Journal of Biomedical Informatics, 36(1-2), 131–143. doi: 10.1016/j.jbi.2003.08.003
Observatório Português dos Sistemas de Saúde. (2015). Acesso aos cuidados de saúde: Um direito em risco?: Relatório de primavera 2015. Recuperado de http://www.opss.pt/sites/opss.pt/files/RelatorioPrimavera2015.pdf
Pfeiffer, Y., Manser, T., & Wehner, T. (2010). Conceptualising barriers to incident reporting: A psychological framework. Quality & Safety in Health Care, 19(6), e60. doi: 10.1136/qshc.2008.030445
Rosen, A. K., & Mull, H. J. (2016). Identifying adverse events after outpatient surgery: improving measurement of patient safety. BMJ Quality & Safety, BMJ Quality & Safety, 25, 3-5. doi: 10.1136/bmjqs-2015-004752
Rozenfeld, S., Giordani, F., & Coelho, S. (2013). Eventos adversos a medicamentos em hospital terciario: Estudo piloto com rastreadores. Revista de Saúde Pública, 47(6), 1102–1111. doi: 10.1590/S0034-8910.2013047004735
Rutberg, H., Borgstedt Risberg, M., Sjödahl, R., Nordqvist, P., Valter, L., & Nilsson, L. (2014). Characterisations of adverse events detected in a university hospital: A 4-year study using the Global Trigger Tool method. BMJ Open, 4(5), e004879. doi: 10.1136/bmjopen-2014-004879
Sousa, P., Uva, A. S., Serranheira, F., Leite, E., & Nunes, C. (2011). Segurança do doente: Eventos adversos em hospitais portugueses: Estudo piloto de incidência, impacte e evitabilidade. Recuperado de https://www.ensp.unl.pt/invest-desenvolv-inov/projectos/brochura_estudo_ea2011.pdf
Tingle, J. (2011). The WHO patient safety curriculum guide. Br J Nurs, 20, 1456–7. doi:10.1097/00001888-200005000-000822
Von Plessen, C., Kodal, A. M., & Anhoj, J. (2012). Experiences with global trigger tool reviews in five Danish hospitals: An implementation study. BMJ Open, 2(5), 1-8. doi: 10.1136/bmjopen-2012-001324
Texto integral
Total: 0 registo(s)
10 Rev. Enf. Ref. RIV15078 ENG.pdf
10 Rev. Enf. Ref. RIV15078 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]