Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Utilizadores do Balneário Público de Alcântara: diagnóstico da situação de saúde
Autores:  Amélia Simões Figueiredo*; Ana Resende**; Cândida Ferrito***;
Isabel Rabiais****; Sílvia Caldeira*****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2016-01-05
Aceite para publicação:  2016-04-30
Tipo:  Artigo de Investigação
Ano:  2016
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV16001

Resumo
Enquadramento: O projeto de extensão à comunidade da Universidade Católica Portuguesa, que envolve o Balneário Público de Alcântara, iniciou-se com a necessidade de conhecer os seus utilizadores.
Objetivos: Caracterizar o perfil sociodemográfico e de saúde dos utilizadores e descrever a utilização dos recursos sociais e de saúde.
Metodologia: Estudo descritivo e transversal, de natureza quantitativa, com aplicação de formulário a 145 utilizadores.
Resultados: O utilizador típico é do sexo masculino, solteiro, vive só, tem entre 25 e 35 anos (21%). Este utilizador frequenta o balneário, duas a três vezes por semana. A maioria (58,3%) não tem casa de banho, 29,7% são sem abrigo, 35,2 % não estão inscritos em centro de saúde e 24,8% têm patologia do foro mental.
Conclusão: O utilizador tipo do balneário situa-se na fase ativa, é natural de Lisboa e dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e não tem qualquer fonte de rendimento. Os motivos que levam à utilização do balneário são as dificuldades económicas, a condição de sem-abrigo e a falta de condições sanitárias.

Palavras-chave
enfermagem em saúde comunitária; intervenção comunitária; comunidades vulneráveis
Alves, A. A., & Rodrigues, N. F. (2010). Determinantes sociais e económicos da Saúde Mental. Revista Portuguesa Saúde Pública, 28(2), 127-131.
Baldacchino, D. (2010). Spiritual care: Being in doing. Malta: Preca Library.
Direção Geral da Saúde (2011). Plano Nacional de Saúde 2011/2016. Recuperado de http://pns.dgs.pt/pns-2012-2016.
Honoré, B. (2004). Cuidar: Persistir em conjunto na existência. Loures, Portugal: Lusociência.
Imperatori, E., & Giraldes, M. R. (1993). Metodologia do planeamento em saúde (3ª ed.). Lisboa, Portugal: ENSP.
Instituto Nacional de Estatística. (2012). Censos 2011. Lisboa, Portugal: INE.
Jesus, M. F., & Menezes I. (2010). A experiência de sem-abrigo como promotora do empoderamento sociológico. Análise Psicológica, 3, 527-35.
Kolcaba, K. (2009). Comfort. In S. J. Peterson, T. S. Bredow, Middle range theories: Application to nursing research, (pp. 254-72). Philadelphia, USA: Wolters Kluwer/Lippincott Williams & Wilkins.
Lei n.º 48/90, de 24 de Agosto. Diário da República nº 195/90 – I Série. Assembleia da República. Lisboa, Portugal.
Loureiro, I., Miranda, N. M., & José, M. P. (2013). Promoção da saúde e desenvolvimento local em Portugal: Refletir para agir. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 31(1), 23–31.
Ministério da Saúde. Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo IP. (2013). Retrato de Saúde em Lisboa: Contributo para um Perfil de Saúde da Cidade. Lisboa, Portugal: ARS/LVT.
Portaria nº 394 - B/2012 de 29 de novembro. Diário da República nº 231/12 - I Série. Ministério da Saúde. Lisboa, Portugal.
Rae, B. E., & Rees, S. (2015). Original research: Empirical research – qualitative: The perceptions of homeless people regarding their healthcare needs and experiences of receiving health care. Journal of Advanced Nursing, 71(9), 1-12.
Rebelo, C. (2013). Balneários públicos de Lisboa expressão de garantia dos Direitos Sociais? (Dissertação de mestrado). Instituto Universitário de Lisboa, ISCTE, Lisboa, Portugal.
Rego, X. (2014). Entre a utopia e a crise nos meandros da (in)segurança urbana na segunda metade do século XX. Sociologia, Problemas e Práticas, 74, 93-110.
Regulamento do Balneário Público de Alcântara (s.d.). Livro de notas n.º 182-A; p.89  Empreitada n.º 108/55 – Obras de Beneficiação e limpeza dos balneários do Alto da Serafina e Alcântara. Arquivo Histórico Municipal do Arco Cego. (documento não publicado)
Ribeiro, P., & Costa, M. (2012). O conforto do doente idoso crónico em contexto hospitalar: Contributos, para uma revisão sistemática da literatura. Referência, 3(7), 149-58.
Traphagariy, J. W. (2004). Culture and long-term Care: The bath as social service in Japan. Care Management Journals, 5(1), 53-60.
Texto integral
Total: 0 registo(s)
11 Rev. Enf. Ref. RIV16001 ENG.pdf
11 Rev. Enf. Ref. RIV16001 PORT.pdf


[ Detalhes da edição ]