Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Úlceras de pressão na face em doentes submetidos a ventilação não invasiva hospitalizados em cuidados intermédios
Autores:  Matilde Delmina da Silva Martins*; Patricia Sofia Costa Ribas**; Joana Raquel Almeida Sousa***; Norberto Anibal Pires da Silva****; Leonel São Romão Preto*****; Teresa Isaltina Gomes Correia******
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2016-02-29
Aceite para publicação:  2016-07-11
Tipo:  Artigo
Ano:  2016
DOI:  http://dx.doi.org/10.12707/RIV16015

Resumo
Enquadramento: A úlcera da face é uma das complicações mais frequentes associada à prática de ventilação não invasiva (VNI).
Objetivos: Determinar a frequência de úlceras da face em doentes internados numa unidade de cuidados intermédios (UCI) submetidos a VNI e identificar fatores associados.
Metodologia: Estudo prospetivo realizado entre setembro e dezembro de 2015. Critérios de inclusão: idade ≥ 18 anos, internamento em UCI, com VNI e sem úlcera da face na admissão, resultando numa amostra de 30 participantes. Os dados foram obtidos através de um questionário, da escala de Braden e de Glasgow.
Resultados: A frequência de úlcera foi de 26,7%, 16,7% de grau II e o tempo de aparecimento médio de 3,3 dias. Predominou o género masculino 70,0%, a média de idade foi 74,2 anos. Doentes submetidos a mais horas de VNI por dia, maior número de dias de VNI e mais dias de internamento apresentaram frequência superior de úlceras.
Conclusão: O número de horas de VNI aumenta a frequência de ulceras por pressão (UP), sugere-se a interrupção dos períodos de utilização.

Palavras-chave
ventilação não invasiva; úlcera; úlcera por pressão; úlcera cutânea; face
Albuquerque, A., Souza, M., Torres, V., Porto, V., Soares, M., & Torquato, I. (2014). Avaliação e prevenção da úlcera por pressão pelos enfermeiros de terapia intensiva: Conhecimento e prática. Revista de Enfermagem UFPE, 8(2), 229-239. doi:10.5205/reuol.4688-38583-1-RV.0802201401
Campos, S., Chagas, A., Costa, A., França, R., & Jansen, A. (2010). Fatores associados ao desenvolvimento de úlceras de pressão: O impacto da nutrição. Revista de Nutrição, 23(5),703-714. doi:10.1590/S1415-52732010000500002
Cruz, M., & Zamora, V. (2013). Ventilação mecânica não invasiva. Revista HUPE, 12(3), 92-101. doi:10.12957/rhupe.2013.7535
Direção Geral da Saúde. (2011). Escala de Braden: Versão adulto e pediátrica. Retrieved from http://www.dgs.pt/?cr=20377
Fernandes, N., & Torres, G. (2008). Incidência e fatores de risco de úlceras de pressão em pacientes de unidade de terapia intensiva. Ciência Cuidado e Saúde, 7(3), 304-310. doi:10.4025/cienccuidsaude.v7i3.6484
Furman, G., Rocha, A., Guariente, M., Barros, S., Morooka, M., & Mouro, D. (2010). Úlceras por pressão: Incidência e associação de fatores de risco em pacientes de um hospital universitário. Revista enfermagem UFPE, 4(3), 1506-514.
Instituto Nacional de Estatística. (2012). Censos 2011: Resultados definitivos: Região norte. Lisboa, Portugal: Autor.
Marcelino, P. (2009). Manual de ventilação mecânica no adulto. Loures, Portugal: Lusociência.
Maruccia, M., Ruggieri, M., & Onesti, M. (2015). Facial skin breakdown in patients with non-invasive ventilation devices: Report of two cases and indications for treatment and prevention. International Wound Journal, 12, 451-455. doi:10.1111/iwj.12135
Ministério da Saúde, Direcção-Geral da Saúde, Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados. (2007). Orientações de abordagem em cuidados continuados integrados: Úlceras de pressão prevenção. Retrieved from http://www.acss.minsaude.pt/Portals/0/%C3%9Alceras%20de%20Press%C3%A3o%20-%20Preven%C3%A7%C3%A3o.pdf
National Pressure Ulcer Advisory Panel. (2015). NPUAP Pressure Ulcer Stages. Retrieved from http://www.npuap.org/resources/educational-and-clinical-resources/npuap-pressure-injury-stages/
Passarini, J., Zambon, L., Morcillo, A., Kosour, C., & Saad, A. (2012). Utilização da ventilação não invasiva em edema agudo do pulmão e exacerbação da doença pulmonar obstrutiva crônica na emergência: Preditores de insucesso. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 24(3), 278-283. Retrieved from http://www.scielo.br/pdf/rbti/v24n3/v24n3a12.pdf
Primo, C., Baratela, M., Valladares, M., Alvarenga, S., Lima, E., & Leite, F. (2014). Fatores de risco associados à lesão nasal por dispositivo de pressão positiva em recém-nascidos. Revista Enfermagem UERJ, 22(1), 16-21. Retrieved from http://www.facenf.uerj.br/v22n1/v22n1a03.pdf
Rogensk, N., & Santos, V. (2005). Estudo sobre a incidência de úlceras por pressão em um hospital universitário. Revista Latino-Americana Enfermagem, 13(4), 474-480. Retrieved from http://www.scielo.br/pdf/rlae/v13n4/v13n4a03.pdf
Schallom, M., Cracchiolo, L., Falker, A., Foster, J., Hager, J., Morehouse, T., Watts, P., Weems, L., & Kollef, M. (2015). Pressure ulcer incidence in patients wearing nasal-oral versus full-face noninvasive ventilation masks. American Journal of Critical Care, 24(4), 349-356. doi:10.4037/ajcc2015386
Silva, D., Barbosa, M., Araújo, D., Oliveira, L., & Melo, A., (2011). Úlcera por pressão: Avaliação de fatores de risco em pacientes internados em um hospital universitário. Revista Eletrônica de Enfermagem, 13(1), 118-123. doi:10.5216/ree.v13i1.8295
Silva, M., Oliveira, S., Diniz, E., Fernandes, M., Universidade Federal de Paraíba João Pessoa, & Grupo de Estudos e Pesquisas em Tratamento de Feridas. (2014). Úlcera por compressão em pacientes hospitalizados: Análise da prevalência, fatores de risco e lesões instaladas. Fiep Bulletin, 84(esp. ed.).
Silva, R., Timenetsky, K., Neves, R., Shigemichi, L., Kanda, S., Maekawa, C., Silva, E., & Eid, R. (2013). Adaptação a diferentes interfaces de ventilação mecânica não invasiva em pacientes críticos. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 39(4), 469-475. doi:10.1590/S1806-37132013000400011
Sousa, N., Bonfim, S., Vasconcelos, M., Bezerra, J., Silva, D., & Leal, L. (2013). Frequência de lesão do septo nasal em prematuros no uso de prongas nasais. Revista Escola de Enfermagem da USP, 47(6), 1285-1290.
Yamaguti, W., Moderno, E., Yamashita, S., Gomes, T., Maida, A., Kondo, C., Salles, I., & Brito, C. (2014). Treatment-related risk factors for development of skin breakdown in subjects with acute respiratory failure undergoing noninvasive ventilation or CPAP. Respiratory Care, 59(10), 1530-1536. doi:10.4187/respcare.02942
Texto integral
Total: 0 registo(s)
11 Rev. Enf. Ref_ RIV16015 ING.pdf
11 Rev. Enf. Ref_ RIV16015.pdf


[ Detalhes da edição ]