Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Validação de uma Escala de Satisfação dos Enfermeiros com o Trabalho para a população portuguesa
Autores:  Ana Lúcia da Silva João*; Catarina Pereira Alves**; Cristina Silva***; Fátima Diogo****; Nadine Duque Ferreira*****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2016-10-14
Aceite para publicação:  2017-01-20
Tipo:  Artigo de Investigação
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV16066

Resumo
Enquadramento: A satisfação profissional é resultante da avaliação afetiva e/ou cognitiva. Ela é um importante indicador do clima organizacional e um elemento determinante na avaliação da qualidade das organizações.
Objetivos: Este estudo tem como objetivo validar uma Escala de Satisfação dos Enfermeiros com o Trabalho (ESET).
Metodologia: A ESET, após um pré-teste, foi aplicada a 382 enfermeiros que exerciam funções num hospital de Entidade Pública Empresarial (EPE) da região sul de Portugal.
Resultados: Após a análise fatorial exploratória com rotação ortogonal varimax foram obtidas seis dimensões que explicam 68,63% da variância total. No que concerne à análise da consistência interna foram obtidos valores de alfa de Cronbach con-siderados adequados de 0,96 para a escala geral e de 0,85 a 0,95 para as dimensões referidas.
Conclusão: A escala construída demonstrou ser um instrumento de fácil aplicação nos enfermeiros com um bom índice de validade e fiabilidade.



Palavras-chave
satisfação no trabalho; enfermagem; estudos de validação; escala
Alves, C. (2007). Comportamento organizacional: A gestão de crise nas organizações. Lisboa, Portugal: Escolar editora.
Baumann, A. (2007). Ambientes favoráveis à prática: Con¬dições no trabalho = cuidados de qualidade. Genebra, Switzerland: Internacional Council of Nurses.
Camara, P., Guerra, P., & Rodrigues, J. (2007). Huma¬nator: Recursos humanos & sucesso empresarial. Lisboa, Portugal: Publicações Dom Quixote.
Castro, J., Lago, H., Fornelos, M., C., Novo, P., Soleiro, R., M., & Alves, O. (2011). Satisfação profissional dos enfermeiros em Cuidados de Saúde Primários: o caso do Centro de Saúde de Barcelos/Barcelinhos. Revista portuguesa de saúde pública, 22(9), 157-172.
Chiavenato, I. (2008). Recursos humanos: O capital huma¬no das organizações. São Paulo, Brasil: Atlas.
Ferreira, M., & Sousa, L. (2006). Satisfação no trabalho e comportamentos estratégicos. Revista Portuguesa de Enfermagem, 6, 37-46.
Gomes, J., Cunha, M., Rego, A., Cunha, R., Cabral, Car¬doso, C., & Marques C. (2008). Manual de gestão de pessoas e do capital humano. Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
Hill, M, & Hill, A. (2009). Investigação por questionário. Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
João, A. (2013). Mobbing: Agressão psicológica na profissão de enfermagem. Loures, Portugal: Lusociência.
Lu, H., Barribal, K., Zhang, X., & While, A. (2011). Job satisfaction among hospital nurses revisited: A systematic review. International Journal of Nurs¬ing Studies, 49(8), 1017-1038. doi:10.1016/j.ijnurstu.2011.11.00
Marôco, J. (2010). Análise estatística com utilização do SPSS (3ª ed.). Lisboa, Portugal: Edições Sílabo.
Ng, S. (1993). A job satisfaction scale for nurses. New Zealand Journal of Psychology, 22, 46-53. Recuperado de http://www.psychology.org.nz/wp-content/up¬loads/NZJP-Vol221-1993-5-Hung-Ng.pdf
Oliveira, S. (1999). Sociologia das organizações. São Paulo, Brasil: Editora Pioneira.
Raposo, M. S. (Coord.). (2011). A satisfação dos enfermei¬ros que exercem as suas funções em centros de saúde da Região Autónoma dos Açores. Recuperado de http://www.ordemenfermeiros.pt/sites/acores/informacao/Documents/estudo%20CROOECSP.pdf
Siqueira, M. (1995). Antecedentes de comportamentos de cidadania organizacional: Análise de um modelo pós¬-cognitivo (Tese de Doutoramento não publicada). Universidade de Brasília, Brasil.

Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Mar2017_117to130_port.pdf
REF_Mar2017_117to130_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]