Websites | Serviços | Webmail | Ferramentas | Área reservada

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional
Título:  Validação para a população portuguesa da Escala de Observação de Competências Precoces na Alimentação Oral
Autores:  Maria Alice dos Santos Curado*; Joâo P. Maroco**; Thereza Vasconcellos***; Lígia Marques Gouveia****; Suzanne Thoyre*****
Orientadores: 
Recebido para publicação:  2016-10-06
Aceite para publicação:  2017-01-06
Secção:  Artigo de Investigação
Ano:  2017
DOI:  https://doi.org/10.12707/RIV16070

Resumo
Enquadramento: A introdução da alimentação oral (mama/tetina) no recém-nascido (RN) pré-termo baseia-se no peso, idade gestacional,
estabilidade fisiológica e estado de saúde. É evidente que a avaliação através destes pressupostos tem sido uma mais-valia, porém nem sempre responde às necessidades individuais do RN. Existem instrumentos que permitem avaliar o momento adequado para o início da alimentação bem como o desempenho da criança durante o processo.
Objetivos: Fazer a adaptação cultural e a avaliação das qualidades psicométrica da Early Feeding Skills Assessment Scale, versão modificada
(EFS-VM).
Metodologia: Estudo quantitativo, numa amostra de 698 RN, idade gestacional ≥24 e <37. A validade fatorial do modelo e a fiabilidade foi avaliada com uma análise fatorial confirmatória e o alfa de Cronbach.
Resultados: A EFS-VM apresentou uma adequada validade fatorial, ([χ2(186)=913,206; p<0,001; n=698; χ2/df=4,91; CFI=0,903; TLI=0,890; RMSEA=0,075; P[rmsea≤0,05]<0,001).
Conclusão: EFS-VM é um instrumento sensível, válido e fiável para observar as competências precoces do RN durante o processo de alimentação, facilitao ajustamento do plano de cuidados e permite desenvolver intervenções em parceria com as famílias.

Palavras-chave
estudos de validação; recém-nascido; aleitamento materno; alimentação artificial
Askin, D. F., & Wilson, D. (2014). Recém-nascido de alto risco e a família. In M. J. Hockenberry & D. Wilson (Eds), WONG: Enfermagem da criança e do adolescente (9ª ed., pp. 331-411). Loures, Portugal: Lusociência.
Curado, M. A., Teles, J., & Marôco, J. (2014). Analysis of variables that are not directly observable: Influence on decision-making during the research process. Revis¬ta da Escola de Enfermagem da USP, 48(1), 146-152. doi:10.1590/S0080-623420140000100019
Harding, C. (2009). An evaluation of the benefits of non¬-nutritive sucking for premature infants as described in the literature. Archives of Disease in Children, 94(8), 634-640. doi:10.1136/adc.2008.144204
Hair, J., Black, W., Babin, B., Anderson, R., & Tatham, R. (2006). Multivariate data analysis (6th ed.). New Jersey, USA: Pearson Educational.
Hill, M., & Hill, A. (2009). Investigação por questionário. Lis¬boa, Portugal: Sílabo.
Jadcherla, S. R., Stoner, E., Lin, C., Coster, W. J., Bigsby, R., & Tsai, W. (2009). Evaluation and management of neo¬natal dysphagia: impact of pharyngoesophageal motility studies and multidisciplinary feeding strategy. Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition, 48(2), 186-192. doi:10.1097/MPG.0b013e3181752ce7
Kahn, J. (2006). Factor analysis in counseling psychology research, training, and practice: Principles, advances, and applications. The Counseling Psychologist, 34(5), 684-718. doi:10.1177/0011000006286347
Kenner, C., & McGrath, J. M. (2004). Developmental care of newborns & infants: A guide for health professionals. St Louis, USA: Mosby.
Kline, R. B. (2004). Principles and practice of structural equa¬tion modeling (2nd ed.). New York, USA: The Guilford Press.
Lau, C. (2012). Development of oral feeding skills in the preterm infant. In V. R. Preedy (Ed.), Handbook of growth and growth monitoring in health and disease (pp. 499-512). London, England: Springer Science.
McGrath, J. M., Medoff-Cooper, B., Hardy, W., & Darcy, A. M. (2010). Oral feeding and the high-risk infant. In C. Kenner & J. M. McGrath (Eds), Developmental care of newborns and infants (2nd ed., pp. 313-352). Chicago, USA: NANN.
McGrath, J. M. (2014). Family: Essential partner in care. In C. Kenner & J. W. Lott (Eds), Comprehensive Neonatal Nursing Care (5nd ed.), (pp. 739-765). New York, USA: Springer.
Marôco, J., & Garcia-Marques, T. (2006). Qual a fiabilidade do alfa de Cronbach?: Questões antigas e soluções moder¬nas?. Laboratório de Psicologia, 4(1), 65-90. Recuperado de http://publicacoes.ispa.pt/index.php/lp/article/viewFi¬le/763/706
Marôco, J. (2014a). Análise estatística com SPSS (6ª ed.). Pêro Pinheiro, Portugal: Report Number.
Marôco, J. (2014b). Análise de equações estruturais: Funda¬mentos teóricos, software e aplicação (2ª ed.). Pêro Pinheiro, Portugal: Report Number.
Pinneli, J., & Symington, A. J. (2005). Non-nutritive su¬cking for promoting physiologic stability and nutrition in preterm infants. Cochrane Database of Systematic Review, 4. doi:10.1002/14651858.CD001071
Thoyre, S. M. (2003). Techniques for feeding preterm in¬fants: Education calms parents’ fears regarding proper care. American Journal of Nursing, 103(9), 69-73.
Thoyre, S. M., Shaker, C. S., & Pridham, K. F. (2005). The Early Feeding Skills Assessment For Preterm Infants. Neonatal Network, 24(3), 7-16. doi: 10.1891/0730-0832.24.3.7
Thoyre, S. M., Shaker, C. S., & Pridham, K. F. (2010). Ma¬nual for administration of the Early Feeding Skills Assess¬ment (EFS) (Updated). Chapel Hill, USA: The University of North Carolina.
Vice, F. L., & Gewolb, I. H. (2008). Respiratory patterns and strategies during feeding in preterm infants. Develo¬pmental Medicine and Child Neurology, 50(5), 372-467. doi:10.1111/j.1469-8749.2008.02065.x

Texto integral
Total: 0 registo(s)
REF_Mar2017_131to142_port.pdf
REF_Mar2017_131to142_eng.pdf


[ Detalhes da edição ]